O espetáculo de Marcos Voj

00-capa-ensaio-143

O teatro, o balé, a dança, o musical, as artes cênicas de um modo geral proporcionam ao fotógrafo, ao cineasta, ao artista visual uma ocasião especial para casar a performance do espetáculo com o registro que o artista faz da obra em questão. Tanto do espetáculo em si, quando está sendo apresentado ao público, quanto o da sua preparação, o ensaio, os bastidores, aquilo que há por trás e que tem por fim afinar o que será apresentado aos espectadores. São, em sua essência, espetáculos plásticos, uns mais sofisticados, outros menos. No caso da fotografia, um fotógrafo mostra a sua competência ou não quando do registro das imagens. Há que haver o domínio de duas premissas de uma boa foto: enquadramento e aproveitamento da luz. As fotos que estão neste ensaio mostram que Marcos Vojciechovski, o Marcos Voj, domina a complexa arte de05 fotografar os shows.

Formado na UFPR na área de processamento de dados, hoje com o pomposo nome de tecnologia da informação, Marcos sempre foi um interessado pelas artes: música, pintura, fotografia. Começou a trabalhar cedo e com seu primeiro salário comprou a sua primeira câmera: uma Kodak Instamatic. A partir daí sai a fotografar, a analisar as imagens e junto com leituras sobre a arte fotográfica vai treinando o seu olhar.

Junto com seu amor pela fotografia cultiva outro: as motocicletas e as viagens, as viagens de motocicleta. Depois de muitas viagens pelo Brasil e pela América do Sul, planeja durante o ano de 1996, junto com um amigo, uma viagem de moto de Curitiba aoAlasca. Atravessam a América do Sul, via Bolívia, seguem pela América Central, entram nos Estados Unidos e vão até Prudhoe Bay, Alasca, último porto atingível por terra. De lá vão até Miami, onde embarcam as motos e voltam de avião. Foram 72 dias de viagem com muitas fotografias e um diário que mais tarde Marcos transformou em um livro chamado Curitiba-Alasca: O Diário de uma Aventura sobre Duas Rodas. O livro vendeu 2.000 exemplares.

Aproveitando o programa “+ MON + Música”, fotografou cinco shows. Em postagens de algumas das fotos no Facebook, recebe inúmeros elogios pelo seu trabalho. Então chega o convite do Espaço Cultural Alberto Massuda para uma exposição com o nome “A luz da música”. Lá estão as ampliações em fine art do belíssimo trabalho que Marcos fez. Recomendo uma cuidadosa visita. A exposição fica até o dia 13 de setembro na Rua Trajano Reis, 443.

 

 

01-dsc_6056

Cristina El Tarran, Cristian Julian e Jeff Sabbag

 

 

 

02-dsc_7486

Hélio Brandão

 

 

 

03-dsc_7109

Saul Trumpet

 

 

 

04-dsc_2723

Paulo Siqueira

 

 

 

05-dsc_5966

Edith de Camargo

 

 

 

06-dsc_7353

Hélio Brandão

 

 

 

07-dsc_7399

Gebran Sabbag

 

 

 

08-dsc_6094

Laís Mann

 

 

 

09-dsc_7297

Thiago Nunes

 

 

 

10-dsc_7217

Marilia Guiler

 

 

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *