Anschluss

capa-de-150

Em 1919 foi assinado o Tratado de Versalhes, em conjunto com outros quatro acordos selava a paz e o fim da Grande Guerra, o qual serviu entre tantas outras coisas para chutar cachorro morto. A Alemanha, o país que mais sanções sofreu, teve que aceitar um exército com apenas 100 mil voluntários, se privar de armamento pesado (tanques e aviões de guerra), a marinha foi reduzida e ainda queriam que o governo alemão pagasse uma quantia considerável para, de fato, se retratar por todo estrago causado. Isso foi deixado de lado, colocou-se em stand by para análise posterior, além de tudo isso, Áustria e Alemanha foram proibidas de se aliarem novamente. Assim terminou a Grande Guerra, com o povo alemão humilhado, escorraçado, a Alemanha se tornou o marido que foi expulso de casa, proibido de ver os filhos e obrigado a pagar pensão. Os europeus tinham criado um pai falido e rancoroso.

Catorze anos após o humilhante Tratado de Versalhes, surge no Partido Nacional Socialista alemão o nome que protagonizaria o pior episódio da história do país e um dos mais horripilantes do mundo, Adolf Hitler. Inteligente e perspicaz, Hitler caminhava rumo à estabilização financeira, pegou no leme quando a inflação atingia níveis estratosféricos, porém uma mente perturbada e com ideais duvidosos acreditava no pangermanismo, queria uma língua, uma raça. Para concretizar seu mirabolante plano teria que romper com o acordado em Versalhes e em março de 1935 anuncia o rearmamento alemão, em 1936 manda tropas à Renânia, a qual tinha sido cobiçada pelos franceses no fim da Primeira Guerra, agora com o distanciamento histórico fica claro que Hitler se articulava e o fato que não deixa negar é a anschluss com a Áustria em 13 de março de 1938.

Anschluss em alemão significa anexação, Hitler anexou a Áustria com o pretexto de prevenir a violência e com esmagador apoio do povo em questão, rompendo com mais uma cláusula do acordo de 19 anos antes, foi um dos grandes passos que ele deu rumo à guerra, à continuação da primeira que ficou mal resolvida, pois quando um ano e meio depois – em setembro de 1939 – o Terceiro Reich invade a Polônia, Inglaterra e França se revoltam e declaram guerra ao genocida Hitler.

Hoje, 2014, 76 anos depois da anexação da Áustria, a anschluss está de volta. Desde novembro do ano passado o povo ucraniano está dividido, uns pró-Ocidente, outros pró-Rússia. E a partir de fevereiro deste ano quando os conflitos tomaram um corpo mais sinistro o que mais se ouve é sobre anexação. Se a Crimeia, região onde a antiga União Soviética tinha uma base militar, deveria ou não ser anexada.

O Putin militarizou a Crimeia, assim como Hitler militarizou a Renânia. Os russos anexaram a Crimeia, assim como os alemães anexaram a Áustria, os austríacos simpatizavam em gênero e grau com o Terceiro Reich, assim como a Crimeia tem forte apreço pelos russos. A história não está aí de graça, não é à toa que custa passar no Instituto Rio Branco para ser um diplomata, tem que estar com esses e muitos outros episódios na ponta da língua, a diplomacia serve pra isso, pra evitar conflitos que já aconteceram e prever os que podem acontecer e a história também, para nos mostrar os caminhos que as sanções, anexações, acordos, desacordos nos levam.

Ver que agora vivemos uma etapa em que russos e americanos voltaram a ser como atleticanos e coxas-brancas não é tão assustador quanto pensar que a Crimeia está para a Áustria, como Putin está para Hitler.

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *