Curtas. Ed. 150

curtas---marina-silva

Marina Silva. Foto: Divulgação

Marina versus Gleisi
Marina Silva (PSB) disse que o governo federal encontrou nela uma “cabra expiatória” para justificar o risco de falta de energia e que é uma “simplificação grotesca” a tentativa de responsabilizá-la pelo problema. “Primeiro se nega o problema, depois minimiza, depois, quando as evidências colocam o problema e ninguém pode negar, se procura um bode expiatório, ou, agora, uma cabra expiatória.”

 

Prioridade máxima
Candidato à reeleição, o governador tucano do Paraná, Beto Richa, teve em três dias uma ideia da prioridade que o PT federal atribui à sua derrota. A campanha ainda nem começou e sua adversária, a senadora petista Gleisi Hoffmann, recepcionou no Estado as duas principais estrelas do PT. Lula participou do ato de lançamento de sua candidatura e Dilma Rousseff afagou-a num evento organizado pela Federação do Comércio do Paraná para premiar mulheres empreendedoras.

 

Chá de explicação
A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou o convite ao secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, para prestar esclarecimentos sobre o endividamento de governos de Estados e prefeituras. Augustin é o algoz do Paraná no bloqueio aos empréstimos do Paraná. A iniciativa, do deputado Nelson Marchezan Júnior (PSDB-RS), questiona o papel de Augustin, pois, ao mesmo tempo em que trata desses temas federativos, estaria ligado à campanha de reeleição de Dilma Rousseff.

 

Nem a pau
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que não pretende ser candidato a nenhum cargo nas eleições deste ano. Nós últimos dias, dirigentes tucanos fizeram circular o rumor de que FHC teria sido convidado para ser candidato a vice-presidente na chapa de Aécio Neves. A tese ganhou força no partido depois que o PSDB nacional realizou pesquisas qualitativas que indicaram que o nome de FHC tinha boa aceitação entre eleitores de várias idades.

 

Lula bate na imprensa
No encontro que reuniu 500 petistas, Lula fez críticas à imprensa, a quem acusou de ter “preconceito” contra seu governo e o de sua sucessora, a presidente Dilma. “Eu imaginei que a imprensa fosse tratá-la com respeito, que fosse ser mais verdadeira”, disse. “Mas eu estou boquiaberto. O preconceito contra Dilma é muito maior do que tinham contra mim”, discursou Lula.

 

Para escapar do Pibinho

Um dos pais do Plano Real e hoje diretor da Casa das Garças, Edmar Bacha, defende que o novo governo vai precisar impor um “desfazimento” da atual política macroeconômica e lançar as bases para uma abertura comercial de longo prazo. Segundo Bacha, os “pibinhos” são frutos do isolamento nacional.

 

Custo da incompetência
No orçamento deste ano, já estavam previstos R$ 9 bilhões para cobrir a diferença entre o preço e o custo da energia, o mesmo valor do ano passado. E o governo anunciou um socorro de R$ 12 bi, sendo que R$ 4 bi serão do Tesouro e virão de impostos. Sabemos, então, que isso vai acabar batendo no nosso bolso.

 

Tarde demais
Um dos mais experientes políticos brasileiros, o gaúcho Pedro Simon afirma que a aliança do PMDB com o PT para manter Michel Temer como vice de Dilma Rousseff está sufocando o partido. E que agora é tarde para mudar.

 

Menor do que o previsto
A Arena da Baixada será entregue com menos de 40.000 lugares, capacidade prometida para a Copa de 2014. Com 60% das cadeiras instaladas, os técnicos do Comitê Organizador da Copa acreditam que apenas 38.800 assentos serão colocados no estádio.

Leia mais

Deixe uma resposta