Tem japonês no choro

Capa-Joao

Maestro e diretor artístico da Orquestra à Base de Cordas do Conservatório de MPB, um dos fundadores do Clube do Choro de Curitiba e músico pra toda obra, João Egashira conquistou respeito do público e dos colegas.

Ele tem rotina bem regrada, dividida entre o trabalho e a família. Não joga pra perder e só se abraça com projetos que dialoguem diretamente com o que o encanta.
A predileção é para o choro, mas isso não o impediu de se aventurar pelo pop de Zeca Baleiro, pelo samba de Paulinho da Viola, pelo forró de Dominguinhos, pelo jazz da família Sabbag e por aí vai – a lista é imensa.

Arranjador e compositor, ele recebeu em 2003 os votos de congratulações por serviços prestados ao desenvolvimento da Cultura em Curitiba.
Muito bem, com um cartão de visitas assim, onde encontrar João Egashira? Ao que a história demonstra, em clubes europeus, festivais internacionais, turnês pelo mundo… também! Mas é comum vê-lo em rodas vadias de choro, em encontros sem compromisso e dando canjas em shows de amigos.

É possível ouvi-lo em casa, acompanhado de sua orquestra, a girar na vitrola. Também em outros estilos, a participar, compor ou arranjar.
Pessoa fácil e carismática, ele leva o trabalho a sério e prova, um dia depois do outro, que a vida boêmia, meio desleixada e desvinculada dos negócios, é coisa para amadores. João trabalha incansavelmente, com seriedade e muita disciplina.
E o melhor, apesar de nascido em São Paulo, ele é mais bicho do Paraná que muita gente que traz a prova na identidade.

Adriana Sydor

Foto: Lina Faria

Foto: Lina Faria

Leia mais

Deixe uma resposta