As montanhas mágicas

capa-ensaio-152

Dentre os mais criativos fotógrafos que se dedicaram a fotografar a natureza, as paisagens, o meio ambiente com sua vegetação, seus animais e a raça humana na terra em que vivemos destaca-se Ansel Adams. Foi um pioneiro e o grande inventor do seu registro em fotografia. Na fotografia de paisagens não há causa fortuita, ocasional, mas, sim, a habilidade que requer tempo, paciência e esforço. Ansel Adams costumava dizer que essa fotografia é “o supremo teste de um fotógrafo e, frequentemente, o supremo desapontamento”. Lucas Pontes, geógrafo formado e graduado pela UFPR, tem paixão pela natureza em geral e pelas montanhas em particular. Foi na Serra do Mar, na região do Marumbi, que começou a fotografar. Autodidata, fez alguns minicursos e workshops com nomes consagrados da fotografia brasileira: Walter Firmo, Pedro Martinelli, André Cipriano.

Em 2004, nas aulas de campo de geomorfologia, visitou a região da Serra Catarinense. Ficou tocado com a exuberância, a beleza e a grandeza dos panoramas. A partir de 2011, parte para os municípios de Bom Jardim da Serra, São Joaquim, Urubici, Grão-Pará, Lauro Muller e Bom Retiro para fotografar documentalmente a região. Ao lado das imensas paisagens, vê também o entorno, não só as pedras, árvores, plantas, animais: olha a presença do homem. O autóctone e o imigrante: suas construções, seus costumes, suas histórias, suas manifestações religiosas, sua música, sua atividade econômica. A natureza e o homem.

Para fotografar as imagens que a Ideias publica, Lucas fez várias viagens às serras, viajou quilômetros, andou em trilhas outros tantos para registrar a sua beleza, com o enquadramento preciso e a luz que se ajustasse à imagem que pretendia. Foram tiradas mais de três mil fotografias, onde o fotógrafo enfrentou o sol, a chuva, os ventos, a noite e a escuridão, os animais, os mais temíveis insetos, o cansaço.

Porém, quando se olha o resultado obtido, vê-se que a beleza que Lucas extraiu dos locais visitados compensa todo o seu empenho. A sensibilidade e o olhar atento nos mostram toda a grandeza dos cenários da Serra Catarinense.

Esse geógrafo e fotógrafo mineiro, já há alguns anos a morar em Curitiba, tem muitos outros planos: um trabalho sobre o primeiro planalto (Curitiba e região), Refavela (recortes sobre as favelas do Rio de Janeiro), Litorâneas (litoral paranaense), Cachaça Morreteana (produção da bebida em Morretes), entre outros.

Lucas já recebeu várias premiações pelo seu trabalho. Nunca obteve financiamento algum seja de iniciativa privada, seja de órgãos públicos. Se autofinancia. E para se manter, trabalha como consultor em geologia, fotografa eventos, vende suas belas cópias fotográficas.

Podemos afirmar que o artista Lucas Pontes vai surpreender a todos com os seus próximos projetos. O que falta em investimentos para o seu trabalho sobra em talento e sensibilidade.

 

 

01

 

 

02

 

 

03

 

 

04

 

 

06

 

 

05

 

 

07

 

 

08

 

 

09

 

 

10

 

 

11

 

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *