Guia Emocional de Curitiba

Ilana

Estou começando a escrever o Meu Guia Emocional de Curitiba.
Não se trata de um guia comum, com restaurantes, hotéis e passeios, essas coisas todas. Obviamente muito desses lugares estarão por lá, mas o mais importante nesse guia é o parâmetro. Cada item, verbete, lugar, dica ou objeto terá que passar pelo crivo mais importante, o da emoção. Só entra o que me despertar uma lembrança, um cheiro, gosto ou memória que bata lá no fundo, nos primórdios do encantamento.

Por isso, tenho andado pela cidade prestando um cuidado redobrado para não perder nenhum detalhe, nenhum cisco. Recordando fatos e pessoas, associando a paisagem à minha vida.
Vai dar um baita trabalho!

Alguns itens serão óbvios e comuns a muitos, como os lindos tapetes de ipês-rosa em tantas ruas quando começam a se desfolhar, quem pode ficar indiferente a isso? Outros vão requerer certa idade dos leitores para que possam ser compartilhados, como os pôneis de mentirinha onde a gente tirava fotos no Passeio Público. Se você é jovem e não sabe do que eu estou falando, ainda dá tempo de descobrir, eles ainda estão por lá, leve a criançada no parquinho e eternize esse momento!

Muitos serão extremamente pessoais, e vão requerer vasta explicação, como a agridoce saudosa lembrança que cada ônibus Expresso que passa me traz da Lorena, amiga querida que já circula em esferas superiores. Mas esta eu só revelarei no Guia.

Só assim poderei traduzir a minha relação com esta cidade. Só assim posso eternizar cada cantinho que fez parte da minha vida. Coisas antigas, como a barba de bode das árvores do Bosque do Papa que escutavam as confissões de amigas sentadas no banco bem abaixo quando a gente fugia da escola. Coisas novas, como as joaninhas e capas de tricô que cobrem troncos das ruas do Tarumã graças às mãos generosas e habilidosas da dona Suzana Pinheiro Bitencourt.

Na verdade, o grande barato é que vou poder fazer um guia desses pra qualquer cidade que me fale ao coração. O simples trabalho de juntar o material já será uma viagem em si. A memória puxando a cidade e a cidade puxando a memória.

Leia mais

Deixe uma resposta