Isabela França. Ed. 155

capa-estrela_leminskancoes__danielacarvalho2

Estrelinski

Estrela. Foto: Daniela Carvalho

Estrela. Foto: Daniela Carvalho

Acaba de sair o CD Duplo Leminskanções. Na obra, 25 composições próprias e parcerias de Paulo Leminski. A genialidade e multiplicidade do poeta curitibano inclui seu precioso e ainda pouco conhecido acervo musical. Isso porque suas composições mais famosas – Verdura, Luzes, Filho de Santa Maria e Se Houver Céu – têm como referência para o grande público apenas os intérpretes, como Caetano Veloso, Arnaldo Antunes, Itamar Assumpção e Paulinho Boca de Cantor. Suas criações ainda foram gravadas por Ângela Maria, A Cor do Som, Gilberto Gil, Ney Matogrosso, além de parcerias do Tropicalismo, da Vanguarda Paulista e da cena curitibana. Quem assumiu o projeto de resgate, registro documental e divulgação da produção musical de Paulo Leminski foi sua filha, também musicista, Estrela.
Há cerca de seis anos, Estrela está debruçada sobre todo o legado musical deixado por ele: de rabiscos em guardanapos a dezenas de fitas K7 com gravações caseiras.

Leminskanções traz oito canções inéditas. Estrelinski – nome que assume neste trabalho ao lado da banda “E os Paulera” - assume a interpretação da maioria das faixas. Com o título “Essa Noite vai ter Sol”, um CD terá 14 composições de Leminski, com música e letra assinadas por ele, além das participações especiais de Arnaldo Antunes e Zeca Baleiro. O outro disco, que foi batizado de “Se nem for Terra, se Transformar”, apresenta 11 músicas, fruto de parcerias de Leminski com outros artistas como Itamar Assumpção e Moraes Moreira com as canções Dor Elegante e Promessas Demais, respectivamente. Esse disco contou com as participações especiais de Zélia Duncan, Serena Assumpção, Ná Ozzetti, Bernardo Bravo e André Abujamra. O coro das faixas não poupa participações especiais e traz nomes como Uyara Torrente (Banda mais Bonita da Cidade), Leo Fressato, Grace Torres (Grupo Fato), Iria Braga, Otto Nascarella, Juliana Cortes e Rogéria Holtz, artistas atuantes da cena local que saltam no encarte. O trabalho recebeu incentivo do Banco do Brasil, da Unibrasil e da Fundação Cultural de Curitiba, pela Lei do Mecenato Subsidiado. A obra está disponível para download.

Há 25 anos vestindo belas

Materia_FOTO_197

Sylvia Sartorelli. Foto: Patrícia Klemtz

A empresária Sylvia Sartorelli comemorou, em agosto, 25 anos da sua multimarcas Impelle, um dos mais requisitados endereços de Curitiba quando o assunto é moda. Na moderna casa da Alameda Carlos de Carvalho, Sylvia recebe suas clientes com muita descontração e elegância. Nas prateleiras e araras, roupas da marca própria e de algumas das mais badaladas marcas nacionais.
A empresária sequer imaginava sua verdadeira vocação quando, nos idos dos anos 80, uma amiga que comercializava roupas de couro veio visitá-la em Curitiba e trouxe uma mala de produtos para vender. A hóspede teve um problema e precisou voltar às pressas para casa, deixando a mala com Sylvia, que vendeu todas as mercadorias entre suas amigas.
Ao descobrir a facilidade que tinha para vender, Sylvia decidiu montar uma confecção e iniciou seu negócio com as peças em couro. Dali em diante, a Impelle só cresceu, com coleções próprias de pret-à-porter e, mais tarde, com a multimarcas.

Encuentros

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Em parceria com a gravadora Trama, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), pelas agências beGIANTAdvertainment e Neogama/BBH lançou, no mês passado, um álbum eletrônico com canções criadas para o programa de TV “Encuentros en Brasil”. A ação faz parte de um pacote de iniciativas das estratégias do governo brasileiro para divulgar o Brasil no exterior. As músicas compiladas foram compostas por artistas que estrelaram a primeira temporada da série – o uruguaio Jorge Drexler, a chilena Francisca Valenzuela, a dupla peruana Alejandro y Maria Laura, a colombiana Andrea Echeverri e o brasileiro Paulinho Moska, diretor musical do projeto. As composições dos outros dois protagonistas do “Encuentros en Brasil” – Kevin Johansen e Natalia Lafourcade – serão disponibilizadas na internet pela Sony Music Argentina e pela Sony Music México, respectivamente.

Apoio do bem

apoio

Foto: Divulgação

O biomédico e massoterapeuta Michel Smeja, junto com o Expert Batel, está patrocinando o atleta curitibano de fisiculturismo Marcos Carvalho, campeão brasileiro do Man’s Physique, que deverá representar o Brasil em outubro, em Quebéc, no Canadá, no IFBB World Fitness Championship. O atleta somou à sua rotina de exercícios físicos tratamentos estéticos e de massoterapia. Michel Smeja cuida do bem-estar de famosos como Grazi Massafera, Marisa Orth, Suzana Vieira e outros. Na foto, o atleta com Michel.

UFPR em Oxford

O jovem advogado curitibano Adriano Camargo Gomes recebeu, em agosto, pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, uma das mais antigas e mais conceituadas do mundo, o título de Mestre em Direito. Sua dissertação na área de Direito Concorrencial realizou o estudo comparativo do direito brasileiro e europeu, propondo aprimoramento das tutelas jurídicas em atividades empresariais anticompetitivas.
Formado pela UFPR, em 2013, Adriano foi orientado do saudoso professor Alcides Munhoz da Cunha, falecido recentemente, a quem prestou emocionante homenagem ao oferecer simbolicamente seu título de mestre. Os pais, o também advogado Manoel Eduardo Camargo Gomes e Lúcia Gomes, foram até Oxford aplaudir o filho.

Shakespeare

SB

Imagem: Reprodução/site shakespearedigitalbrasil

A professora de Letras Estrangeiras Modernas da Universidade Federal do Paraná, UFPR, Liana de Camargo Leão, recebeu o ator Miguel Falabella, na TV da UFPR, para a mais recente participação do projeto Shakespeare Digital. O depoimento do ator vai para o site www.shakespearedigitalbrasil.com.br, que conta com participações de nomes como Fernanda Montenegro, Gustavo Gasparani, Marcelo Anthony, a tradutora e crítica shakespeariana Bárbara Heliodora e o diretor de teatro Daniel Herz. Coordenado por Liana, com a participação das professoras Célia Arns de Miranda e Anna Stegh Camati, o projeto é uma iniciativa que pretende divulgar e estudar o trabalho de Shakespeare. Os atores, escritores e demais personalidades que prestam depoimentos não cobram cachê e o projeto tem ganhado fôlego e aprofundado a discussão em torno da obra shakespeariana nos últimos meses.

Encuentros I

Depois de passar por Londres, Montevidéu, Nova York e Buenos Aires, o cinema brasileiro apresentado no Circuito Inffinito de Festivais 2014 esteve nas telas de Miami, em agosto. As produções cinematográficas locais estão sendo utilizadas pelo governo para divulgar a diversidade cultural do País. Aproveitando o Festival de Cinema Brasileiro, que há 18 anos acontece em Miami, a Embratur levou o circuito para a capital mais brasileira dos Estados Unidos. Este ano, o festival fez uma homenagem ao centenário de nascimento de Vinicius de Moraes.

Valter Hugo Mãe

PB_Valter_2849

Foto: Dico Kremer

Em sua passagem por Curitiba para o Litercultura, o escritor Valter Hugo Mãe encantou as plateias com que esteve no evento e em entrevistas para veículos de comunicação. “Tudo o que sei aprendi com a poesia. Poesia é a alma do discurso”, disse. E, neste tom, abordou diversos temas, inclusive alguns dos mais sensíveis. “É possível que alguém se desentenda com um negro. Ou um branco, ou um amarelo. Mas alguém que odeie todos os negros, brancos ou amarelos só pode ser demente”, falou sobre o racismo. Longe das plateias, VHM confirmou sua personalidade sensível. Pediu para conhecer alguns botecos locais, mostrando sua preferência pela culinária simples. Almoçou feijoada, no Bife Sujo, onde se emocionou ao conhecer Áurea e Estrela Leminski e o fotógrafo Dico Kremer – amigo pessoal de Paulo Leminski. Na imagem, Valter Hugo Mãe, devidamente registrado pelas lentes de Dico, folheia o livro sobre Paulo que recebeu das filhas do artista paranaense.

Cortesia

É um belo presente a recuperação do casarão conhecido como “Casa do Bispo”, na esquina das ruas Mateus Leme e Barão de Antonina, que os advogados Luiz Fernando Pereira e Fernando Vernalha Guimarães devem inaugurar em setembro, sede de seu escritório. O trabalho de restauro do imóvel levou mais de um ano e respeitou todas as orientações internacionais de preservação, com atenção especial aos adereços de estuque da fachada, a pintura artístico-decorativa das paredes internas e o piso e escadarias internas em madeira de lei. O prédio foi construído em 1895 pelo sueco Guilherme Lindroth e sua esposa Sophia Mueller Lindroth, daí o nome Vila Sophia. Em estilo eclético, foi um marco da expansão da cidade no início do século 20.

Retrato

Fotos: Vilma Slomp

Com texto do jornalista José Carlos Fernandes, a fotógrafa Vilma Slomp abriu, no final de agosto, a exposição Arte & Poder no Paraná, na galeria Portfolio. Há imagens do início da década de 1980 e outras bem mais recentes, capturadas ainda em 2014. Entre os retratados estão Poty Lazzarotto, Helena Kolody, Paulo Leminski e Jaime Lerner. “Cada foto é uma biografia compacta. Fossem escritas, páginas e páginas”, escreve José Carlos Fernandes. Todas as ampliações são em preto e branco e estão à venda para o público. A exposição fica aberta até 13 de setembro e a Portfolio fica na Rua Alberto Folloni, 634, Centro Cívico. Natural de Paranavaí e apaixonada por Curitiba, Vilma já expôs em museus do Brasil, Cuba, EUA, França, Índia e Argentina, ganhou prêmios internacionais e publicou cinco livros.

Paulo Leminski 1987

Paulo Leminski 1987

Poti Lazarotto 1984

Poti Lazarotto 1984

37_Jaime_Lerner_1992

Jaime Lerner 1992

Leia mais

Deixe uma resposta