Curtas. Ed. 158

Dilma Rousseff. Foto: Ichiro Guerra/Dilma 13

 

Dilma quer plateia

O Palácio do Planalto pediu empenho ao Itamaraty para que um número grande de chefes de Estado venha para a posse de Dilma Rousseff. Entre os países vizinhos, a vinda dos presidentes é mais provável, até por ser tradição na região.
Difícil será atrair algum governante de outro continente, principalmente considerando que se trata de uma reeleição – e mais ainda por se tratar do inglório dia 1º de janeiro, feriado mundial.
A propósito, Dilma convidou Joe Biden por telefone, quando ele ligou no começo do mês para parabenizá-la pela vitória.

 

Medo e religião

Diante das circunstâncias adversas, que incluem provações como ser delatada pelo doleiro Alberto Youssef e ter ficado com 1 milhão de reais dos desvios da Petrobras, a senadora Gleisi Hoffmann resolveu pedir proteção às entidades do além. Declarou-se protegida por Brahma Kumaris. A senadora diz que, desde que conheceu a organização, há 5 anos, através da meditação tem a paciência e a tolerância necessárias para viver melhor e desempenhar seu papel e sua missão no mundo.

 

Juros nas alturas

Os bancos nunca cobraram juros tão altos das famílias brasileiras. A taxa média subiu de 42,8% ao ano para 44% ao ano em outubro. É a maior já registrada pelo Banco Central desde que passou a contabilizar os dados na nova série histórica iniciada em 2011. Esses são os juros médios dos empréstimos feitos com recursos livres, ou seja, aqueles que as instituições financeiras têm o poder de escolher a forma que empresta. A expectativa é que as taxas continuem a subir ainda mais.

 

Relações estremecidas

O banqueiro André Esteves, do BTG, garantiu, há dias, numa palestra, que as relações entre Dilma e Lula “não são mais as mesmas”. Estava mais que bem informado: agora, mesmo espalhando que teve alguma participação no convite a Luis Carlos Trabuco, as indicações de Nelson Barbosa, Armando Monteiro e Kátia Abreu não tiveram a participação (ou a aprovação) do ex-presidente. Mais: Lula acha que o clima entre eles irá piorar. Só não reclamará publicamente: um rompimento seria fatal para sua candidatura em 2018.

 

Minuto de fama

O deputado Valdir Rossoni (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, disse, pouco antes de uma sessão na Casa, que o PSOL teve seu minuto de fama. O partido protocolou um pedido contra o tucano após o caso envolvendo os seguranças da Alep e militantes de partidos políticos de oposição.

 

Animado

Dilma Rousseff não consultou ninguém do PTB para escolher Armando Monteiro para o Ministério do Desenvolvimento. E os próprios petebistas não sabem se ele estará na cota do partido ou na cota pessoal da chefe do Governo. Em São Paulo, o deputado Campos Machado, que há anos controla o PTB, ficou contente: em 2016, poderá ter um ministro apoiando a candidatura de sua mulher, Marlene, para a prefeitura paulistana.

 

Olhos nos tucanos

O alto tucanato reconhece que não tem grandes nomes para concorrer à prefeitura de São Paulo em 2016, especialmente se forem candidatos Marta Suplicy, Celso Russomano ou até Gabriel Chalita. E também para 2018, o partido igualmente não vê nomes fortes e até – surpresa – começa a considerar a candidatura de José Serra, que estará no Senado.

 

Outro processo

O engenheiro Paulo Vieira de Sousa, ex-Dersa, está pensando em interpelar judicialmente o presidente do PT de São Paulo, Emidio de Sousa, que fez declarações, incluindo o nome dele ao lado de irregularidades do Metrô de São Paulo (ainda o affair Alstom). O advogado de Paulo é José Luis de Oliveira Lima, o Juca, que defendeu José Dirceu e que também está defendendo Erton Medeiros Fonseca, da Galvão Engenheira, na Operação Lava Jato. A indicação teria sido de outro diretor da empreiteira, José Rubens Goulart Pereira, amigo de muitos anos de Paulo.

 

Férias de janeiro

Como vem acontecendo nos últimos anos, a presidente Dilma Rousseff, que tomará posse dia 1º de janeiro de seu segundo mandato, deverá embarcar logo depois para uma semana de descanso na Base Naval de Aratu, na Bahia, que acaba de receber R$ 1 milhão de verba especial para reforma e construção de instalações mais confortáveis. No Natal, a presidente deverá estar em Porto Alegre, passando a data com sua família.

Deixe uma resposta