Frases. Ed. 163

Lula. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

“Vejo por aí o povo dizendo que a Petrobras acabou, mas eu digo que não. A Petrobras não só não acabou, como as ações de janeiro para cá cresceram 50%.”

Lula, depois do almoço de uma palestra motivacional para funcionários da cervejaria Itaipava, deixando claro que exagerou na dose.

 

“As pesquisas jogam o Brasil para baixo e quem fala isso não conhece a força deste país.”
Lula, avisando que só acredita nas pesquisas de opinião que mostram o governo petista com mais de 60% de “ótimo” ou “bom”.

 

“Creio que ficou um meio-termo razoável, até porque pode vir a haver um eventual contingenciamento desta verba ainda este ano.”
Michel Temer, vice-presidente da República, tentando convencer os brasileiros de que o governo não está favorecendo os partidos em detrimento da população ao aumentar a verba do fundo partidário para R$ 867,5 milhões enquanto eleva os impostos e altera as regras do seguro-desemprego.

 

“O Brasil é um dos países mais transparentes do mundo.”

Joaquim Levy, ministro da Fazenda, durante um evento em Nova York, reiterando que está cada vez mais parecido com Guido Mantega.

 

“Eu quero ser campeão brasileiro. Não entro em competição pensando em ficar em quarto.”
Ernesto Pedroso, vice-presidente do Coritiba.

 

“Aquilo tudo que foi feito em 2005 é o que está faltando nesta administração.”
Do vereador Chico do Uberaba ao comparar o mandato de Gustavo Fruet ao de Beto Richa como prefeitos de Curitiba.

 

“Tem uma tensão no Congresso, mas nós nunca perdemos uma votação como aquela MP da CPMF, que significou menos R$ 40 bilhões para o governo.”

Dilma Rousseff, numa conversa com blogueiros estatizados, ao surpreender os presentes com uma rasteira no padrinho Lula.

 

“Levy precisa se expor menos. Só deve aparecer para cobrar pênalti. Nada de carrinho.”
Delcídio Amaral, senador (PT-MS), recomendando nova postura ao ministro da Fazenda.

 

Deixe uma resposta