Pra não dizer que não falei de abóboras

Sei que o Fábio Campana adora este prato. Ele jura que na sua receita não há creme de leite, batatas ou queijo coalho. Tudo bem, há variações. A começar pelas espécies de abóboras que podemos encontrar. Quando os primeiros portugueses desembarcaram, há cinco séculos, os indígenas cultivavam suas próprias variedades. As abóboras cultivadas pelos índios brasileiros foram levadas para a Europa pelos portugueses, enquanto que os espanhóis, que colonizaram outros países das Américas, levaram para lá as variedades de abóboras cultivadas pelos astecas, maias e incas.
As abóboras fizeram sucesso e circularam rapidamente no Velho Mundo, chegando à Alemanha e à Itália ainda no século XVI. Quando os imigrantes alemães e italianos vieram ao Brasil, no século XIX, trouxeram consigo sementes de suas próprias seleções de abóboras, para seguir cultivando no Brasil. Desse passeio, ida e volta, cresceram os tipos e  nomes para o fruto: abobrinha, abóbora, abóbora-crioula, abóbora-cogumelo, abóbora-coração-de-boi, moranga e moranga-de-bunda, entre outros.
Pois, pois, essa história prova que abóbora faz sucesso em qualquer lugar do planeta. E no feitio de creme acompanhado de carne-seca, merece aplausos, mesmo que não seja a receita exata que o Fábio Campana diz que é única e segredo recente de família. Vamos à nossa, que não tem segredos.

 

Ingredientes

1 cebola
2 dentes de alho
1 batata inglesa grande
1 kg de abóbora
500 g de carne seca
1 caixa de creme de leite
Coentro
1 tablete de tempero sabor bacon ou carne
Pimenta do reino a gosto
Sal a gosto
Queijo coalho ralado
Manteiga
Azeite

Creme

Refogue a cebola picada e o alho triturado na manteiga (não precisa deixar dourar).
Acrescente a abóbora e a batata, descascadas e em pedaços pequenos.
Adicione água quente até cobrir, a pimenta do reino e sal a gosto.
Deixe cozinhar até que a abóbora comece a se desfazer.
Espere esfriar e adicione o creme de leite
Bata a mistura no liquidificador com o coentro (a gosto), até que atinja a consistência de um creme.

Carne seca

Parta em pedaços grandes e escalde até que a água fique transparente.
Retire toda a água e triture em processador (ou liquidificador), até que desfie.
Doure com um fio de azeite.

Finalização

Adicione a carne seca desfiada e o tablete de tempero ao creme e deixe cozinhar em fogo baixo até que ferva.
Sirva com um fio de azeite e o queijo coalho ralado.
Para acompanhamento, sugiro torradas com creme de alho, requeijão e manteiga.

abobora

2 comentários

Deixe uma resposta