A primavera chegou, ponha flores no cardápio

Confesso que tinha cá meus preconceitos. Acreditava que o uso das flores na preparação de pratos era um exotismo mais interessante para os olhos, talvez, que para o paladar. Mudei de opinião desde que passei a frequentar a mesa de uma amiga que faz das flores ingredientes muito interessantes em sua cozinha. E não estou a falar das alcachofras, que adoro. Nem das alcaparras. Nem mesmo da flor da abobrinha ou da abóbora, também conhecidas como flor de cambuquira, que pode ser até recheada e acompanhar pratos salgados. Fica incrível em risotos e saladas.
Falo das flores, essas que vemos em jardins e que poderiam também estar nas hortas. A verdade é que as flores comestíveis são uma maneira deliciosa de variar os pratos. Crocantes, aveludadas, carnudas. Aromas e sabores doces, picantes, ácidos. Além de lindos tons e cores que ajudam a abrir o apetite. Em outras culturas elas estão presentes há muito tempo. Os chefs aprenderam que as flores comestíveis são uma maneira deliciosa de enriquecer saladas e pratos.
Um exemplo: as pétalas de rosa há muito que são usadas em infusões e conservas. Agora são ingredientes de eleição para sobremesas e conferem um sabor suave e muito agradável a pratos fritos, como a tempura de pétalas de rosas, uma entrada deliciosa e rica em vitaminas.
A capuchinha, ou flor de nastúrcio, muito decorativa, de gosto levemente picante. É rica em vitamina C, combina na perfeição com saladas. Nativa do Peru, foi introduzida na Europa no final do século XVI e hoje é cultivada em todo o mundo.
Desde a Idade Média, a calêndula, originária do centro e sul da Europa e da Ásia, era cultivada em hortas, desidratada e utilizada como corante em caldos, queijos amarelos, manteiga e bolos. As suas pétalas são utilizadas frescas em saladas, em crepes ou no arroz, em substituição do açafrão.
Um destaque para uma flor que é de minha predileção. Nativo da Europa e Ásia Ocidental, o amor-perfeito contagiou o mundo inteiro. Além de lhe serem atribuídas propriedades diuréticas, é muito usado para saladas e sobremesas.
A flor de borago, oriunda do norte de África, é secularmente conhecida por possuir efeitos benéficos sobre o corpo e a mente. Deve ser sempre utilizada fresca, uma vez que perde as suas propriedades depois de seca, e marca presença frequente em saladas ou em bolos e sobremesas.
A begônia, a tulipa, a alfazema e o gerânio também entram nesta seleção, utilizadas segundo a imaginação e a experiência dos cozinheiros, tendo sempre em conta as suas características – no fundo, tal como se utiliza qualquer outro ingrediente em culinária. E não esqueçam que vinagres e azeites podem ser aromatizados com flores.
Há mais, muito mais. A popular cebolinha, ou, como chamam os ingleses, chives, usada em salada. E a verbena-limão, que vem da Argentina e do Chile? Suas flores são usadas para aromatizar vinhos, recheios, aves, conservas e sobremesas, além do seu uso nos licores franceses.

pretty flowers - purple pansy violets

pretty flowers – purple pansy violets

Deixe uma resposta