Curtas. Ed. 173

Loira azarada

Bem que a loira tentou. Com todas as suas forças. Mas não deu para ela. O Palácio do Planalto quer indicar o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) para a liderança do governo no Senado, posto vago desde a prisão, no final do ano passado, de Delcídio do Amaral. Gleisi Hoffmann dançou mais uma vez.

 

Somos enganados

Enquanto os brasileiros estrilam contra a volta da CPMF, o governo de Dilma Rousseff, mais discretamente, aumentou o IR para pessoa física, dobrou o IOF para 3%, aumentou o PIS/ Confins sobre a gasolina e importados e decidiu trazer de volta o Cide, imposto sobre combustível. Com esses aumentos, o governo terá uma receita de R$ 30 bilhões/ ano (incluindo tarifaços como o de energia elétrica), ou seja, ainda pouco diante dos sonhados R$ 80 bilhões anuais da CPMF, mas suficiente para que o governo Dilma mantenha o excesso de funcionários, cargos, benesses, prebendas, sinecuras, bolsas etc., etc., etc.

Questão de fé

Com a proibição das doações empresariais, muitos dirigentes partidários apostam no crescimento da bancada evangélica, por ter maior facilidade para conseguir doações de pessoas físicas. Hoje, a bancada tem 64 parlamentares, a maioria da Assembléia de Deus, que estão com a agenda pronta no Congresso. Primeira grande ação será a aprovação do Estatuto da Família.

Fuçando

O sonho de consumo do PSDB é encontrar provas e convencer os ministros do TSE que petistas usaram as eleições nacionais de 2014 para lavar dinheiro.

De cocheira

Nos últimos tempos, também sob muita discrição, quando quer saber informações seguras sobre os aliados, especialmente o pessoal do PMDB, a presidente chama para conversa Aldo Rebelo, ministro da Defesa, que tem boa circulação e já foi ministro da antiga pasta de Relações Institucionais.

Sem chance

Enquanto o corte do Orçamento é adiado, integrantes do governo, reservadamente, reconhecem que é remota a chance da União cumprir a meta do superávit primário (economia para pagar os juros da dívida) estabelecida em 2016, de 0,5% do PIB.
Sem dó
O ministro Teori Zavascki, do STF, negou habeas corpus ao ex-deputado André Vargas, ex-PT do Paraná, primeiro político condenado em uma ação penal da Lava Jato. Ele foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A pena imposta foi de 14 anos e quatro meses de prisão, em regime inicialmente fechado.

Em 2º lugar

Uma votação promovida pela ONG Transparência Internacional na internet classificou os maiores casos de corrupção do mundo e levou a Petrobras a um inglório segundo lugar, abaixo apenas do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych. O escândalo na estatal brasileira recebeu 11.900 votos dos internautas, contra 13.210 de Yanukovych, acusado de desvios milionários de recursos públicos para sua conta pessoal.

Bola de cristal

Petistas apostam que, quando a Operação Lava Jato finalmente chegar ao fim, os únicos que restarão presos serão o ex-ministro José Dirceu, do PT, o ex-tesoureiro João Vaccari (PT) e o ex-deputado federal André Vargas, ex-PT.

Carros alugados

O Senado Federal empenhou R$ 1,7 milhão para a locação de automóveis para deslocamentos dos senadores no Distrito Federal. O número de veículos alugados é o mesmo dos senadores: 81, ou seja, cada um terá seu carro privativo. O contrato vai de janeiro a setembro, não incluindo motorista e combustível, que será usado pelos senadores em suas circuladas por Brasília.

Controle 100%

O governo estuda a possibilidade de autorizar grupos estrangeiros a controlar até 100% do capital de empresas aéreas no Brasil. Hoje, a participação está limitada a 20%. Há uma proposta que tramita no Congresso para ampliar os 20% para 49% a participação de estrangeiros. O governo também planeja conceder à Infraero o patrimônio dos aeroportos que ela já administra para facilitar a abertura do capital.

 

Chá de explicação

Lula ainda não deu as caras para tentar explicar as encrencas do tríplex no Guarujá e do sítio em Atibaia, mas internamente, no PT, as conversas sobre o que falar estão acontecendo. Lula tem se reunido com um grupo mais fechado de dirigentes para discutir o assunto.

Deixe uma resposta