Editorial. Ed. 173

Sozinho, o juiz federal Sergio Moro incomoda o governo de Dilma Rousseff, Lula e o PT mais do que toda a oposição no Parlamento. Bem, a oposição é fraquinha, conta em seus quadros com deputados e senadores de limitada formação e com outros, que ostentam cargos de liderança, que também morrem de medo do juiz. Gente que tem o rabo preso em alguma trapaça com o dinheiro público.

Moro fez um apelo geral à Nação. Diz que ele faz a sua parte, mas a sociedade terá que fazer a sua, que significa apoiar, ruidosamente, a continuidade dos processos da Operação Lava Jato, especialmente quando aponta para os políticos e empresários de alto coturno. Estes sempre contaram com a proteção do Estado, de boa parte do Judiciário e com a ignorância da maioria para garantir sua impunidade.

Na verdade, a Lava Jato mal começou. O desmanche da Petrobras é apenas uma parte da grande obra destruidora do PT nos últimos 13 anos em que ficou no poder. Suspeita-se que há metástases ou novos tumores em todas as áreas da administração, em todas as estatais, com conexões que alcançam outros poderes, o Judiciário e, óbvio, o Legislativo. De onde se deduz que o país apodreceu nas mãos do populismo petista.

Tanta corrupção serviu também para reproduzir o PT no poder.  Moro afirmou à Justiça Eleitoral que a Operação Lava Jato comprovou o repasse de propina a campanhas eleitorais em troca de contratos da Petrobras. Moro encaminhou ao Tribunal Superior Eleitoral documentos de dez ações penais da Lava Jato em primeira instância para subsidiar um dos quatro processos que podem resultar na cassação da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer.

“Destaco que na sentença prolatada na ação penal 5012331-04.2015.404.7000 reputou-se comprovado o direcionamento de propinas acertadas no esquema criminoso da Petrobras para doações eleitorais registradas”, escreveu Moro, em ofício ao Tribunal Superior Eleitoral. No processo citado pelo juiz, a Justiça Federal entendeu que o diretório nacional do PT recebeu propina de 4,26 milhões de reais, entre 2008 e 2012. O dinheiro ilícito era destinado à Diretoria de Serviços da Petrobras, então comandada por Renato Duque, e repassado ao partido por empresas de Augusto Ribeiro de Mendonça Neto com aval do ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto, preso e condenado pela lavagem de dinheiro por meio dessas doações.

Moro fez mais. Indicou caminhos para que a corte eleitoral verifique a acusação dos autores da ação, o PSDB e a Coligação Muda Brasil, do senador tucano Aécio Neves, candidato a presidente derrotado no segundo turno das eleições em 2014. Em uma das ações de investigação judicial eleitoral, Dilma e Temer são acusados de abuso de poder político e econômico com “gastos acima do limite” e “recebimento de doações oficiais de empreiteiras contratadas pela Petrobras como parte de distribuição de propinas”.

Moro sugeriu à Corregedoria-Geral Eleitoral que sejam ouvidos os delatores da Lava Jato que confirmaram em âmbito criminal que repasses de propina foram mascarados como doações eleitorais oficiais e também entregue como caixa dois. “Saliento que os criminosos colaboradores Alberto Youssef, Paulo Roberto Costa, Pedro José Barusco Filho, Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, Milton Pascowitch e Ricardo Ribeiro Pessoa declararam que parte dos recursos acertados no esquema criminoso da Petrobras era destinada a doações eleitorais registradas e não-registradas.

É o suficiente para cassar o mandato de Dilma e de Temer, mais que o necessário para incriminar Lula, cérebro da campanha, mas é preciso considerar que a maioria nos tribunais superiores não são da mesma catadura do juiz Sérgio Moro. São de outra laia. A maioria nomeada pelo PT. Oremos.

2 comentários

  • Vandré Alves

    Exmo. Sr. Doutor Sérgio Fernando Moro.

    Quero aqui deixar registrado minha admiração ao senhor e dizer que eu acredito no Brasil, e tenho convicta certeza que temos em nosso país milhões de “Sérgios Moro” que clamam por justiça e que vivem uma vida digna de respeito e repleta de certezas de que nossa nação é perfeita para se viver. Luto com o senhor por justiça. Não sou juiz, advogado ou politico; sou apenas um motorista que quer um BRASIL MELHOR!!! Que DEUS o abençoe e que os “Sérgios Moro” de nossa nação não desistam de lutar… Com todo respeito um forte abraço!

  • Meu nome e Nelia Xavier Guimaraes
    21 de março de 2016. As 17;30

    Exmo. Sr. Doutor Juiz Federal Sergio Moro.

    Estou escrevendo neste momento que sei que esta sendo dificil para o senhor , pois e um trabalho de muita coragem pois muitos tem esse desejo mas nao tem pulso firme e carater e dignidade que o senhor tem.Tenho certeza que Deus te levantou para abraçar essa causa, nao pare o povo brasileiro esta em campanhas de oraçao pelo senhor.Tenho 65 anos , te chamo de senhor em respeito ao seu legado. nao se esmoreça estamos com o senhor, pois o senhor e nosso sangue brasileiro.Te amamos filho da nossa Patria amada Brasil. DEUS TE ILUMINE……

Deixe uma resposta