Viagem à “terra do fim do mundo”

Desertos, lagos esmeralda, saltos de água, vulcões e as impressionantes montanhas da Cordilheira estão na Patagônia Andina

 

Por Ronildo Pimentel
Fotos: Ronildo Pimentel, Cleverson Lima e Nádia Moreira de Souza

 

Ao contrário do que se pode imaginar, a região que abriga a “terra do fim do mundo”, não é onde tudo acaba. A Patagônia é o reduto de um berçário que guarda belezas que impressionam viajantes do mundo todo.
Lagos e rios com água em tom esmeralda, vales verdes ou brancos, dependendo a época do ano, montanhas com cume cobertos de “neve eterna” e florestas de pinheiros nas encostas, desertos e vulcões em atividade.
A Patagônia é de tirar o fôlego. A região geográfica, dividida entre Argentina e Chile, vai do extremo sul do continente (Terra do Fogo e Ushuaia) até a parte mais ao sul da Cordilheira dos Andes.
É dentro deste cenário de beleza cinematográfica que um roteiro é cada vez mais procurado por viajantes que gostam de rodar grandes distâncias de carro, moto, de bicicleta e até carona, no caso dos mais destemidos.
Nesta aventura, partimos da região de Foz do Iguaçu, no Paraná, até a Patagônia Andina, que abrange a região dos lagos em Bariloche e San Martín de Los Andes, pela Argentina, e o Circuito Turístico do Lago Llanquihue e o Vulcão Osorno, pelo lado chileno.
A viagem começa pela Ruta 14, acessível antes de chegar à Posadas. No percurso, cruzando as províncias de Misiones, Corrientes, Entre Rios e Buenos Aires, temos um bom quadro da economia regional, que vai da exploração de matas de reflorestamento, agricultura e pecuária.
O cenário muda radicalmente ao cruzar o deserto das províncias de La Pampa, Rio Negro e Neuquén, que já integram geograficamente a Patagônia. A paisagem é tomada por dezenas de bombas de extração de petróleo e a forte presença da multinacional brasileira Petrobras.
A chegada à região da Cordilheira dos Andes, ao final do terceiro dia de estrada, é a recompensa mais que justa a todos os aventureiros. Lagos de água esmeralda vão surgindo rodeados por paredões de montanhas dos mais variados relevos e tons – “cada cor, é resultado de diferentes idades geológicas”, explicam os nativos.
A “Rota dos Sete Lagos” compreende o trecho de pouco mais de 100 quilômetros entre San Martín de Los Andes e a Villa La Angostura. Percorrer o trecho, no entanto, pode durar até mais de quatro horas, como revelou o médico Renato, que fez o percurso de carro a partir do Distrito Federal.
A beleza da região dos lagos é a dose exata para a paciência no longo período de espera para cruzar o Paso Cardenal Antonio Samore, onde estão as aduanas argentina e chilena na fronteira entre os dois países.
A chegada ao Complexo Turístico do Lago Llanquihue revela que a grande aventura valeu a pena. É neste circuito, de mais de 180 quilômetros no entorno do reservatório, que está vulcão Osorno, símbolo do turismo do Sul do Chile.
O início do programa, que na maioria dos casos tem como porto de partida a cidade de Puerto Varas, não pode deixar de fora passagens pelo rio Petrohué e um passeio pelas águas cristalinas do Lago de Todos Los Santos, de onde é visível a majestade do vulcão, cuja última atividade ocorreu em 1869.
O Osorno tem um cone perfeito com 40 crateras que se agrupam ao redor da base. Tanta beleza chamou a atenção do cientista Charles Darwin, que observou uma erupção da montanha em 1835, segundo relatos dos nativos.
O vulcão é palco de um centro de esqui que funciona o ano todo. Pelos teleféricos é possível alcançar o ponto mais alto permitido aos turistas, a mais de 2,6 mil metros de altitude, onde existem depósitos de neve eterna que fazem a festa dos visitantes no verão. Do alto uma vista impressionante do lago Llanquinhue.

 

1

Nos caminhos da Patagônia, a paisagem árida do deserto é inundada pelas águas de lagos enormes que surpreendem pela beleza do contraste

 

2

Olhando a imagem fica fácil compreender a expressão nos caminhos da “terra do fim do mundo”

 

3

A aproximação com a Cordilheira dos Andes supreende com penhascos e desfiladeiros

 

A vista dos primeiros lagos compensa os três dias de longo trecho até chegar aos andes

A vista dos primeiros lagos compensa os três dias de longo trecho até chegar aos andes

 

A “Rota dos Sete Lagos” impressiona pela harmonia da paisagem

A “Rota dos Sete Lagos” impressiona pela harmonia da paisagem

 

Marina de San Martin de Los Andes, um dos cartões postais da região dos lagos

Marina de San Martin de Los Andes, um dos cartões postais da região dos lagos

 

Nos arredores de Bariloche, chama a atenção a neve eterna no alto das montanhas da cordilheira

Nos arredores de Bariloche, chama a atenção a neve eterna no alto das montanhas da cordilheira

 

Embora não tão comuns como na região Norte, as llamas também dão o ar da graça no Sul do Chile

Embora não tão comuns como na região Norte, as llamas também dão o ar da graça no Sul do Chile

 

Nos caminhos do Complexo do Lago Llanquihue, a visão do Vulcão Osorno chama a atenção

Nos caminhos do Complexo do Lago Llanquihue, a visão do Vulcão Osorno chama a atenção

 

O Vulcão Osorno é o principal símbolo do turismo no Sul do Chile

O Vulcão Osorno é o principal símbolo do turismo no Sul do Chile

 

Centro de esqui permite aos visitantes chegar até os depósitos de neve eterna do vulcão Osorno

Centro de esqui permite aos visitantes chegar até os depósitos de neve eterna do vulcão Osorno

 

Turista encantada com a beleza da neve em pleno verão na Patagônia Andina

Turista encantada com a beleza da neve em pleno verão na Patagônia Andina

 

 

Deixe uma resposta