Inquérito no STF mostrará ‘mais uma vez’ que Delcídio mentiu, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff

A presidente Dilma Rousseff. Foto: Antônio Araújo/ Ministério da Agricultura

Nesta terça (3), PGR pediu autorização para investigar Dilma, Lula e Cardozo.
Rodrigo Janot quer apurar suposta tentativa de atrapalhar a Lava Jato.

 

Por Filipe Matoso
Do G1

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quarta-feira (4), em pronunciamento à imprensa, que, se o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir instaurar um inquérito para investigá-la, a apuração demonstrará, “mais uma vez”, que o senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS) “faltou com a verdade”.

Nesta terça (4), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao Supremo um pedido de abertura de inquérito para investigar Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o advogado-geral da União, ministro José Eduardo Cardozo, por suposta obstrução à Justiça em tentativa de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato.

O pedido de investigação é baseado em depoimentos de Delcídio à Procuradoria Geral da República. O ex-líder do governo Dilma no Senado e seu ex-chefe de gabinete Diogo Ferreira disseram aos procuradores da República que o ministro Marcelo Navarro foi nomeado para o Superior Tribunal de Justiça sob o compromisso de conceder liberdade a donos de empreiteiras presos na Lava Jato.

“As denúncias feitas pelo senador Delcídio são absolutamente levianas e, sobretudo, mentirosas, conforme já reiterei sistematicamente desde que elas apareceram. Aliás, o senador Delcídio tem a prática de mentir e isso ficou claro ao longo dessa questão relativa à sua prisão. Tenho certeza que a abertura do inquérito vai demonstrar apenas que o senador, mais uma vez, faltou com a verdade”, declarou a presidente após anunciar, em uma cerimônia no Palácio do Planalto, a liberação de R$ 202,8 bilhões por meio do Plano Agrícola e Pecuário 2016/2017.

Sigiloso, o pedido de Janot ao Supremo será analisado pelo ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato no tribunal. O sigilo é motivado pelo fato de que a solicitação tem como base gravações de conversas telefônicas entre Dilma e Lula, inicialmente divulgadas pelo juiz federal Sérgio Moro e cujo segredo foi decretado posteriormente por Teori.

Em meio ao seu discurso no evento desta quarta-feira no Planalto, Dilma não chegou a falar sobre o pedido de Janot ao STF. Ao final da cerimônia, a petista se dirigiu aos jornalistas que cobriam o evento e, sem permitir perguntas, disse que se pronunciaria sobre o pedido da PGR em razão de, na noite desta terça (3), segundo ela, a imprensa não ter divulgado uma nota dela sobre o assunto.

“Tenho consciência das mentiras do senador Delcídio do Amaral e acho que a credibilidade do senador é bastante precária. Acredito que é necessário investigar de onde surgem essas afirmações do senador e comprovar”, enfatizou.

Deixe uma resposta