As paixões de Yuni

capa-ensaio-175

Titik Wahyuni, a Yuni, deixou o conforto da casa de sua família, sua bela e ensolarada terra, a Indonésia, e hoje mora em Groningen, Holanda. Foi para o frio em busca do calor e do amor de seu namorado holandês. E de sua outra paixão, a fotografia.  Em seu país trabalhou para a companhia de aviação TransNusa a viajar e a escrever matérias para a revista de bordo. E também fotografava com uma câmera compacta, automática, para ilustrar a reportagem.
Em sua nova terra, aprendeu a língua holandesa e hoje frequenta um curso de Desenho Gráfico. Foi no início de 2014 que, com a ajuda de seu companheiro, aprendeu melhor as técnicas da fotografia. Fotos de moda e retratos é hoje o seu trabalho. Yuni diz que em suas fotografias quer mostrar a beleza da vida com um toque da natureza, das luzes e dos tons que a compõe. E que o importante é que tanto ela como a pessoa retratada se sintam felizes com a realização do trabalho. Às vezes escuta uma crítica de que seu trabalho seria um pouco clichê. E é aconselhada a fazer isso ou aquilo, com a sugestão para que a artista mude a visão que  ela tem para aquela que lhe sugerem. Nada mais tolo. Do que vi de seu trabalho de retrato posso dizer que ela tem um enquadramento preciso (faz bom uso do corte nas fotos), aproveita muito bem a luz e escolhe os cenários e as tonalidades com bastante cuidado. Seus retratos são ao mesmo tempo suaves e vibrantes.

Já escrevi algumas vezes o que penso da difícil e complexa arte do retrato. Duas visões ou expectativas, a do fotógrafo e a do retratado, se contrapõem. Pode haver uma tensão que envolve a vaidade de ambos os lados. Penso que Yuni se sai muito bem no confronto com esse desafio. É da escolha do ângulo, junto com a luz, a pose do modelo e o cenário em que a pessoa está que a fotógrafa transmite sua visão da pessoa fotografada. Ela cria uma atmosfera onírica, etérea na maioria de sua fotos. Trabalha com objetivas fixas, luminosas e não usa objetivas de distância focal variável, as chamadas zooms.

A fotografia é a sua paixão. Não somente o ato de fotografar, mas todo o processo que envolve a sua criação. Desde a conversa com a pessoa a ser fotografada, com a troca de ideias e informações, e o planejamento, a escolha dos figurinos e da maquiagem, o cenário e a pós produção no computador, tudo é bem estudado. Porém durante a sessão fotográfica o acaso pode dar uma mãozinha. E Yuni sabe muito bem aproveitá-lo.

Como influências em seu trabalho cita Emily Soto, Lara Jade e Sue Bryce.
Quem se interessar pelo trabalho dela pode e deve acessar:

Site Unifotografie
Facebook Unifotografie
Instagram Unifotografie

(1)_Yuni-Autoretrato

 

 

(2)_Cyndi

 

 

(3)_Cristina

 

 

(4)_Emma1

 

 

(5)_Marlou

 

 

(6)_Aymie

 

 

(7)_Nathalie

 

 

(8)_Giovanna

 

 

(9)_Imke

 

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *