Tatewaki Nio — Formas Cores Texturas

capa-ensaio-176

A escrita chinesa é feita de caracteres, de ideogramas. Sua criação é muito antiga, de data incerta. Alguns estudiosos falam em 2000 anos ou um pouco mais, antes da nossa era. No seu começo, era uma representação pictórica do mundo físico. O sol, por exemplo, era um círculo com pequenos traços externos em volta. Com o passar do tempo, foi sofrendo alterações, a ficar mais abstrato, e hoje é um retângulo vertical com um traço horizontal no meio. A lua, um quarto crescente com fiapos de nuvens a passar pela frente. Hoje, um retângulo vertical incompleto, a que falta o traço mais em baixo, tendo no seu interior dois traços horizontais. Os dois ideogramas juntos formam a palavra “claridade”. Os ideogramas são essencialmente visuais.

Da China os ideogramas foram introduzidos aos poucos no Japão, já em nossa era. Tomaram o nome de kanji, letra chinesa. É provável que os japoneses continuassem com sua cultura ágrafa até o século V, anno domini.

Penso que essa escrita tem muito a ver com o olhar com que o japonês vê o mundo. Formas, linhas, grafismos, cores, texturas, o olhar que procura captar os traços principais, fundamentais, mais elementares da coisa olhada.

Tatewaki Nio, nascido em Kobe, Japão, e formado em sociologia na Universidade Sophia, em Tóquio, está no Brasil desde 1998. Aqui fez o curso de bacharelado em fotografia no Senac de São Paulo entre 2000 e 2003. Hoje é um fotógrafo com um nome e um trabalho que, penso, se deve ver e analisar com acurada atenção. Conheci o trabalho dele na exposição Olhar Incomum: Japão Revisitado que está no MON e que ficará até 26 de junho. Vale a visita.

Ao chegar, foi morar na Bahia onde se dedicou a fotografar o folclore regional e manifestações populares. Mudou-se para São Paulo, capital, onde o seu olhar foi atraído, entre outras coisas, para a megacidade e suas construções. Focou as construções monumentais das cenas urbanas, muitas em abandono ou em demolição. Percebeu nessas construções o impacto visual que elas têm e que passa despercebido pela grande maioria das pessoas. Aí começou a idealização e a realização de um trabalho, que foi fotografado com câmera analógica no formato 4”x5” (10,16cm x 12,7cm). Usou filme negativo color e revelação no processo C-41. Trabalha nesse projeto, a que deu o nome de Escultura do Inconsciente, destde 2006. Dez anos de lento, estudado e cuidadoso trabalho. Quando descobre uma cena que mereça ser fotografada, faz várias visitas ao local para escolher o ângulo mais favorável e a hora do dia em que a luz o valorize. O fotógrafo diz que sua procura não é a de um colecionador. Procura, através de impactos visuais das cenas urbanas, despertar emoções e não um mero registro mecânico da cena. Igualmente deixou de registrar nessas fotografias o elemento humano, procurando fixar uma atemporalidade.

Além de diversos projetos em desenvolvimento, Tatewaki faz trabalhos editoriais e de eventos. Tive a grata surpresa de ver uma matéria sobre um trabalho interessantíssimo que fez em El Alto, cidade da Bolívia, no último número da prestigiosa revista de fotografia Zum, editada pelo Instituto Moreira Salles. Lá fotografou construções do arquiteto de origem aimará Freddy Mamani. A capa da revista é ilustrada com uma foto de seu trabalho.

Participou de inúmeras exposições, no Brasil e no exterior, tendo recebido muitos prêmios.
Das fotografias que gentilmente enviou, escolhi as Esculturas do Inconsciente, as de El Alto e outras fotografias cuja textura e cromatismo dão uma unidade visual a seu belíssimo e instigante trabalho.

Mais de Tatewaki Nio:

www.tatewakinio.com

Facebook.com/tatewaki.nio

 

01

Sem título – 2014 Grossos/Brasil

 

02

Escultura do Inconsciente #28 – 2007 São Paulo/Brasil

 

03

Escultura do Inconsciente #04 – 2007 São Paulo/Brasil

 

04

Título da série: 0:1+2+3 #14 – 2011 Uyuni/Bolívia

 

05

Neo-andina #52 – 2015 El Alto/Bolívia

 

06

Neo-andina #15 – 2015 El Alto/Bolívia

 

07

Escultura do Inconsciente #49 – 2013 São Paulo

 

08

Escultura do Inconsciente #54 -2015 São Paulo

 

09

Título da série: 0:1+2+3 #08 – 20111 Uyuni/Bolívia

 

10

Northern Mountain -2014 – Areia Branca/Brasil

 

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *