Ministro do STF questiona juiz sobre busca na casa de Gleisi Hoffmann

celso

O ministro Celso de Mello. Foto: Reprodução/site stf.jus.br

Celso de Mello perguntou se apreensão se restringiu a Paulo Bernardo.
Juiz negou pedido do MP para registrar objetos ligados à senadora.

Por Renan Ramalho
Do G1

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou ofício ao juiz federal Paulo Bueno de Azevedo, questionando detalhes de sua decisão que autorizou a busca e apreensão realizada nesta quinta (23) na casa da senadora Gleisi Hoffmann.

Os questionamentos foram enviados numa ação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do 1º vice-presidente da Casa, Tião Viana (PT-AC), para tentar anular as provas obtidas no imóvel, e devolver os materiais à senadora, sob alegação de que o apartamento de Gleisi pertence ao Senado e, portanto, estaria sujeito à mesma imunidade da sede da Casa.

No ofício, Celso de Mello pergunta a Azevedo se a busca se restringiu ao marido de Gleisi, o ex-ministro Paulo Bernardo, que foi preso na ocasião, quando se deflagrou a Operação Custo Brasil, desdobramento da Lava Jato. O ministro também questiona se houve determinação para apreender bens da senadora e se houve determinação para devolver os objetos.

Na operação, o juiz federal negou pedido do Ministério Público Federal para que investigadores pudessem fazer uma espécie de registro dos objetos ligados a Gleisi Hoffmann.

Como Bernardo e Gleisi vivem juntos, o MPF pediu para que juiz autorizasse os policiais a apreender bens do ex-ministro e realizar um “auto de constatação” de objeto ou aparelhos da senadora que eventualmente fossem encontrados.

O juiz, entretanto, negou a segunda parte do pedido. “Tudo o que for de propriedade ou posse da senadora deve ser excluído de qualquer medida pelas autoridades policiais, eis que ela não é investigada nesta primeira instância”, escreveu na decisão.

Leia mais

Deixe uma resposta