Cinema. Ed. 184

cinema 0 abre

O Sal da Terra (2015)
Sebastião Salgado, um dos fotógrafos mais conhecidos e premiados do mundo todo, nasceu em Aimorés, Minas Gerais, em 1944. Formado em economia só teve contato com a fotografia anos mais tarde, com uma câmera que ganhou da sua esposa. Entretanto, a partir do momento que passou a se dedicar à arte teve seu tempo todo dominado por ela, deixou de lado a economia, passou a viajar em busca das faces humanas, animais e mundanas. O Sal da Terra, de direção conjunta do diretor alemão Win Wenders e do brasileiro e filho de Salgado, Juliano Ribeiro Salgado, procura deixar à vista o trabalho desenvolvido pelo fotógrafo.
Indicado ao Oscar de documentário, o filme recebeu o Prêmio do Júri na seção Um Certain Regard do Festival de Cannes em 2014 e o César como melhor documentário. O contato com trabalho de Salgado, regado de pautas sociais, mostra a transformação do humano em diferentes situações e contradições do mundo.

1900 (1976)
O filme ítalo-francês do diretor Bernardo Bertolucci traz uma retrospectiva histórica da Itália no século XX, do seu início ao fim da Segunda Guerra Mundial. O drama com fotografia de Vittorio Storaro e trilha sonora de Ennio Morricone foi filmado em Emília, na Itália, e traz este contexto a partir da vida de Olmo (Gérard Depardieu), filho bastardo de trabalhadores do campo, e Alfredo (Robert De Niro), herdeiro de uma rica família de donos de terras. Com essas experiências de vida antagônicas o filme coloca em evidência debates políticos, ideológicos e sociais, marcas importantes do período, em comparação com o contexto geral. Retrata o intenso momento vivido pela Itália com ascensão do Fascismo e a luta operária do Socialismo e o drama dos indivíduos e suas diferenças.

Neruda (2016)
O filme lançado em 2016 sobre a vida de Pablo Neruda tem como principal objetivo mostrar o lado pessoal do poeta chileno. A partir do contexto da década de 1940, onde o poeta é perseguido por se juntar ao Partido Comunista, o cineasta Pablo Larraín, também chileno, tenta preencher as lacunas sobre a vida privada de Neruda nessa perspectiva. O que se passava na mente do poeta nessas circunstâncias? Mesmo na impossibilidade de responder essa questão, o filme Neruda busca se aproximar dessa resposta a partir das relações que tinha e também, deixando às claras sua poesia.
Indicado ao Globo de Ouro como melhor filme e também na busca pelo Oscar, a produção foge da cinebiografia tradicional e exalta-se do tom maior do poeta, suas palavras e a busca pelas lacunas de sua subjetividade.

Meus caros amigos (1975)
A história é um verdadeiro tratado sobre a gaiatice, por um lado, e a amizade, por outro. Filme dirigido pelo mestre da comédia italiana, Mario Monicelli, que narra de forma episódica as aventuras do grupo de amigos que dedicam a maior parte do seu tempo a sacanear com as pessoas, incluindo suas respectivas famílias. O grande tema do filme é, contudo, o verdadeiro vínculo e cumplicidade entre esses amigos e a vitalidade que provém dessa união.

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *