O mundo dela como imagem

Foto: Henry Milléo

Ao que tudo indica está sempre acompanhada de um objeto, no feminino, talvez sua amiga irmã. As duas correm ruas ou andam ruelas devagarinho. São três olhos. Complementam-se. À espreita ou no meio de tudo, da multidão. Quando piscam congelam o aqui, o agora, o presente, que já deixou de ser. Ficou. Isabella Lanave eterniza você, eu e tudo. Ela é do real, da representação, da imagem. Sua câmera captura o que seus olhos fisgam. E não é por pouco, mesmo que os anos ainda sejam precoces.

Nasceu em 1994 em Curitiba, cresceu em Itajaí, Santa Catarina. Em 2012 desenvolveu o interesse pela fotografia buscando em várias vertentes a sua vocação. E foi na fotografia documental que se encontrou. É na rua que ela para, vê e clica. Em 2013 foi vencedora do prêmio Expocom Sul, na categoria “Ensaio fotográfico artístico”. Em 2014, no México, realizou um curso na Universidad de Guadalajara e cobriu os protestos que pediam justiça ao assassinato de 43 estudantes da cidade de Guerrero. Amadureceu o olhar. Em 2015 foi finalista do 19° Prêmio Sangue Novo do Jornalismo Paranaense na categoria Fotojornalismo. Entre tantas coisas, como cereja do bolo, foi citada pela Revista Time como uma das 34 vozes femininas do mundo através da fotografia.

Quer mais? Conheçam o mundo de Isabella…

Foto por Henry Milléo

Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *