Prateleira. Ed. 189

prateleira-0-abre

Pensamentos de Simões

prat_joao-manual-simoes-capaO livro Pensamentos de João Manuel Simões é parte de uma visão filosófica particular, assentada em seu conhecimento invejável sobre o ser, o seu, e as diversas indagações e explicações que saltam a quase todos nós. De singular qualidade e capacidade, não há como limitar em algum assunto ou tema específico. É geral e variado, flutua entre as nuances da vida. Como Neumar Carta Winter descreveu no prefácio, a obra “é abrangente e variada. Percorre, com segurança, os caminhos da crítica; com fluidez, os meandros da crônica; com maestria, sua produção poética.” Simões nasceu em Mortágua, Portugal, mas desde 1954 reside em Curitiba.

Poesia de Walmor

prat_walmor-marcellino-capaWalmor Marcellino foi poeta, escritor e jornalista. A partir dos anos 1960 passou a viver em Curitiba, onde militou contra a Ditadura Militar. Marcelino se dedicava ao lirismo trágico em seus escritos e também descrevia com humor ácido seus inconformismos. A Travessa dos Editores lançou em 1994 Malvas, fráguas e maçanilhas, uma poesia construída através da vivência do poeta insubmisso e indignado.

O abstrato de Mariana Canet

prat_mariana-canet-capaComo bem escreveu Dico Kremer no prefácio do livro Abstrato: “Mariana Canet é uma artista fotógrafa. Ou uma fotógrafa artista [...] Com sua visão treinada é capaz de perceber a disposição casual de objetos.” Clica a partir da sua seleta visão, faz da sua fotografia uma única arte, seu abstrato no melhor estilo: livre. A escolha do seu lugar foge o comum, é múltipla e só uma. A obra que reúne suas fotografias acabou de ser lançada e é digna de visita. Mariana Canet (1983) iniciou sua carreira em marketing, mas decidiu pela fotografia após visitar Camboja, Sri Lanka e Vietnã.

Das raízes do Brasil

prat_sergio-buarqueA célebre obra do historiador Sergio Buarque de Hollanda, Raízes do Brasil, é o norte para se conhecer a formação da sociedade brasileira. Através da cultura, o texto de uma macro interpretação, consiste em dialogar sobre como surge o Brasil como sociedade desde sua experiência colonial até o estabelecimento da democracia tupiniquim. O livro foi publicado em 1936, possui diversas reedições e traduções internacionais.

Outras dezessete noites

prat_marcio-renato-capaMarcio Renato dos Santos é impressionante em sua produção. Em pouco tempo chegou ao sexto livro de contos com Outras dezessete noites. O título já sugere quantos contos os leitores terão para desfrutar do texto de Marcio Renato. “A voz que prevalece nos textos é aquela de incisiva crítica da cena contemporânea”, explica Luci Collin, poeta, ficcionista e professora da UFPR, que assina a apresentação.

Sobre Catarina II

prat_catarinaCatarina, a Grande, foi a Imperatriz da Rússia de 1762 até sua morte, em 1796. Robert K. Massie, autor do livro Nicolau e Alexandra, lançou Catarina, a Grande – retrato de uma mulher e descreveu uma Rússia no processo de modernização educacional e cultural através da biografia da mulher que governou o país por 34 anos. Além disso, sua obra traz aspectos da vida pessoal de Catarina, com reflexos constantes e diretos à sua adoração pela Rússia.

13º romance de Guido

prat_guido-viaro-capaCom o protagonista Marcel, um solitário a perambular pela Europa, Guido Viaro lança seu 13° romance, A sombra dourada. Cineasta e escritor curitibano, nascido em 1968, já publicou No Zoológico de Berlim, Shopping Mall e A Mulher que cai. Nessa nova história, seu personagem principal sente tristeza e depressão ao passar pelas estátuas, museus, objetos e fantasmas, cenários clássicos e inventados da Europa. Com o tédio segue rumo ao Oriente e sua solidão não toma outros caminhos, se junta a outras. Viaro problematiza a fragilidade humana a partir da solidão de seu personagem e traz novas experiências literárias ao cenário paranaense.

Grandes entrevistas

prat_las-grandes-entrevistasUm livro de entrevistas diversas e variadas, Las grandes entrevistas de la historia traz um distinto panorama das visões de grandes personalidades sobre o mundo. Christopher Silvester, jornalista estadunidense, realizou um trabalho único e primoroso ao juntar entrevistas desde políticos como Theodore Roosevelt, Georges Clemenceau, Adolf Hitler e Benito Mussolini a grandes gênios da literatura, como Émile Zola, Oscar Wilde, Levi Tolstói e Scott Fitzgerald.

Poemas de Millôr

prat_millorMillôr Fernandes estreou no jornalismo precocemente, trabalhou em vários meios de comunicação de forma combativa e audaciosa. Publicou livros repletos de suas frases únicas e completas, humorísticas e perspicazes, pelas quais ficou conhecido. Mas também publicou seus poemas, com suas palavras bem colocadas soube trazer às rimas e às poucas linhas seu talento com a escrita.

O Horlá

prat_guy-capaO narrador de O Horlá, de Guy Maupassant, acredita na presença de um ser desconhecido quando vê, à luz do dia, um galho sendo quebrado e uma flor sendo arrancada, como que por dedos invisíveis. A presença de elementos fantásticos na obra de Maupassant, dizem as más e boas línguas, se deve às alucinações ocasionadas pela sífilis. Por isso que neste diário são vistos: garrafa d’água que se esvazia durante a noite, a sensação de sentir uma presença que ele não enxerga, entre outras coisas. Maupassant com Horlá foi um dos abre-alas da ficção psicológica.

Leia mais

Deixe uma resposta