Som tão somente

jessica

5h56
O que se escuta é o trem.
Moro numa cidade sem trilhos,
Apenas martírios e lírios e vícios.
Ninguém sabe de onde vem,
Ninguém se pergunta para onde vai
Um som, o movimento e só.
6h03
Lembramos que não há nada e voltamos à inércia. Convém.
6h16
Agora são os galos.
Moro no maior e único centro,
Não há verde e rede e sede
Mas ele insiste em cantar,
Grita devagar e desesperado,
Não há contestação.
6h23
É o galo, é o trem
Juntos eles trazem a claridade,
Aqui só há idade e alarde e abate.
Pesa-se na balança dos olhos a luz.
Há treva.
E já ouço além-mar,
Rodas e roncos e ranços.
6h26
É aqui que fico,
Desço e me despeço,
Prefiro o que ouço e não vejo,
Amanhã, no mesmo horário.

Leia mais

Deixe uma resposta