Prateleira. Ed. 191

prat_00_abre

Escrevivência

prat_conceicao_capaConceição Evaristo é uma escritora mineira que aos 70 anos carrega leitores por onde passa. Mas nem sempre foi assim, vem de uma família muito pobre da zona sul de Belo Horizonte e desde muito cedo teve de conciliar seus estudos ao trabalho doméstico. Mudou-se para o Rio de Janeiro na juventude e cursou Letras na UFRJ. Nos anos 1990 teve sua estreia literária e em 2003 publicou seu especial romance Ponciá Vicêncio, obra traduzida para o inglês em 2007. Conceição une sua prosa e suas histórias com a denúncia social das vivências negras, por isso lança sua chamada “escrevivência”, escreve a ficção real de muitas mulheres e homens negros. Venceu o Prêmio Jabuti em 2004.

Primeira latino-americana no Nobel

prat_mistral_capaPablo Neruda foi o maior incentivador da escrita de Leituras para mulheres de Gabriela Mistral (pseudônimo de Lucila Godoy Alcayada), a primeira latino-americana laureada com o prêmio Nobel. A honraria concedeu vez à Mistral em 1945. Além de poeta, Gabriela Mistral foi grande educadora e ativista em lutas contra preconceitos de todos os tipos. Por conta da sua fama, teve de abandonar o ensino, mas ocupou diversos espaços diplomáticos pela Europa.

Homenageado

prat_limabarreto_capaLima Barreto foi o homenageado da Flip 2017, evento literário que pela primeira vez levou mais autores e autoras negras à feira. E neste mesmo ano a historiadora e antropóloga Lília Schwarcz lançou seu livro Lima Barreto - triste visionário, um perfil biográfico que fez com que a autora dedicasse 10 anos em leituras e mergulhos na vida do escritor de “Triste Fim de Policarpo Quaresma”. É a atual obra biográfica com maior amplitude sobre Barreto.

Unânime

prat_lispector_capaA escrita de Clarice Lispector é unânime. Em vários círculos de leitura ela se encontra, em várias pesquisas acadêmicas ela é lida. Sua literatura canônica não deixa dúvidas. Nascida na Ucrânia e naturalizada brasileira, a escritora e jornalista publicou em 1964 A paixão segundo G.H., obra que trata do íntimo de uma mulher que após demitir sua empregada tem de lidar com o profundo estranhamento do “eu” e com o impacto da morte de uma barata. Vale sempre lembrar a frase de Lispector: “A gente escreve, como quem ama, ninguém sabe por que ama, a gente não sabe por que escreve.”

Sabino, menino

prat_sabino_capaPequenos casos escritos com as sutilezas e levezas de menino. Na obra O menino no espelho, Fernando Sabino torna real e escrito todas as fantasias de criança, aquelas que se perdem no mundo adulto e só podem ser vislumbradas em livros como esse. Obra para crianças, mas muito bem recebidas para adultos que gostam de boas leituras e criativas histórias. O menino de Sabino encontra o melhor de si e quem ler também pode lembrar-se de sua melhor parte.

Vozes

prat_trevisan_capaVozes do retrato de Dalton Trevisan é um livro composto por 15 histórias verdadeiras e mentirosas, como muitas vezes é descrito. Aqui, o autor das janelas e portas fechadas, mantém o interesse do leitor em suas linhas simples e fáceis em contos intrigantes e demonstrativos de uma realidade ficcional cruel e às vezes impressionante. Casais se abandonam, filhos e pais também. E de maneira distante, quiçá fria, o autor derrama os choques mais cotidianos do que se imagina.

24 quadros

prat_24_capaReunidos numa pequena sala dentro de um cinema para “adultos” no centro de Curitiba, um grupo de cerca de vinte senhores relembra memoráveis ocasiões que viveram nos grandes cinemas de rua da cidade. E, para quem não os viveu, esses senhores oferecem um ingresso ao mundo da Cinelândia curitibana, compartilhando generosamente suas lembranças, divididas aqui em 24 quadros por Luciana Cristo e Nívea Miyakawa.

Gavita

prat_gavita_capaA poeta paranaense Andréia Carvalho Gavita, que nas horas não vagas é também técnica em farmácia ambulatorial, é dona de linhas com inspirações surrealistas e simbolistas. Além de já ter participado de algumas antologias poéticas, publicou em 2012 Camafeu escarlate, editado pela Lumme. Sua poesia é carregada de força, onde palavras levam o leitor ao contato com as fantasias, a mitologia e o esoterismo, tudo ligado às inovações autorais de Gavita.

O desejo como experiência da eternidade

prat_pedrosa_capaA portuguesa Clara, protagonista de A eternidade e o desejo, acaba por levar um tiro e fica cega em sua viagem pelo Brasil. E mesmo depois do acidente, ela segue os passos do Padre Antonio Vieira pelo país junto de alguns turistas. A narrativa da escritora e tradutora Inês Pedrosa, leva ao conhecimento do místico e da existência por Clara, experiência escrita com beleza e destreza pela autora.

Primeiro noviço voador

prat_mamaluco_capaO mamaluco voador, obra de Luiz Roberto Guedes, é também um manuscrito jesuíta datado de 1569, que teria sido leiloado em Osasca, Japão, em 1991. O texto revela a existência de um aeronauta pioneiro no Brasil do século XVI: o noviço Anrrique Braz, o mamaluco nascido em Pernambuco. O livro foi edit
ado pela Travessa dos Editores em 2006.

Leia mais

Deixe uma resposta