Umuarama brilha

umuarama1-abre

A Capital da Amizade, no Noroeste, é segunda melhor cidade do Paraná em qualidade de vida e bem-estar social

Uma das cidades que mais tem evoluído em qualidade de vida e potencial de desenvolvimento socioeconômico no interior do Paraná é Umuarama, com seus 110 mil habitantes, um agradável clima tropical e localização estratégica para investimentos. Sua base econômica é centrada na agropecuária – com destaque para a produção de leite e carne bovina – além da grande produção de cana-de-açúcar, mandioca, hortifrutigranjeiros, frutas, milho e frango de corte, além de atividades menores.

O comércio e a prestação de serviços atraem consumidores de cerca de 30 municípios do Noroeste do Estado, sul do Mato Grosso do Sul e Paraguai. Grandes indústrias fazem de Umuarama o segundo maior polo moveleiro do Estado e no setor industrial também se destacam unidades de transformação de alimentos, curtumes – que preparam couro bovino para a indústria – e o polo regional de confecções.

A economia local é movimentada ainda pelo grande centro universitário que a cidade abriga e também pelo polo de medicina de ponta, com grandes hospitais – o mais recente é o Hospital do Câncer Uopeccan/ Hospital Regional – e dezenas de clínicas médicas, nas mais variadas especialidades.

CAPITAL DA AMIZADE
Tudo isso, aliado ao planejamento estratégico e aos investimentos públicos, colocam a Capital da Amizade em posição de destaque nacional. No ano passado, a “Revista Exame” publicou uma pesquisa, fruto de um levantamento inédito do Observatório das Metrópoles, coordenado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que aponta as 100 cidades brasileiras com o melhor quadro de bem-estar no país.

Aos 62 anos, Umuarama aparece na 44ª posição no ranking das 100 melhores do Brasil e é a segunda melhor colocada do Paraná, atrás apenas de Maringá (28ª). Mais duas cidades do Estado, apenas, entraram na classificação positiva do levantamento – Jandaia do Sul (48ª) e São Jorge do Ivaí (97ª). O estudo considerou os 5,5 mil municípios do Brasil e para chegar ao resultado, levou em conta fatores de qualidade como mobilidade urbana, condições ambientais e habitacionais, serviços coletivos urbanos e infraestrutura.

O prefeito Celso Pozzobom (PSC), que há mais de 50 anos mora na cidade, lembra que o progresso não chegou por acaso. “Umuarama teve a sorte de acolher, desde a sua fundação, um povo honesto e trabalhador. Os primeiros colonos que por aqui aportaram vieram do interior de São Paulo, de Santa Catarina, do Rio Grande do Sul, de Minas Gerais e de alguns Estados do Nordeste”, relembra.

“Além disso, também recebemos portugueses, muitos italianos, japoneses e libaneses. Eles adquiriram terras e lotes urbanos com a esperança de progredir e trabalharam muito para isso. Como resultado, a cidade experimentou um grande crescimento nas primeiras décadas e só não estamos ainda melhor por causa da crise do café, no final da década de 70, em decorrência das grandes geadas e da queda do preço no mercado internacional”, avaliou.
umuarama2
PECUÁRIA
Com o fim da cafeicultura, muitas propriedades migraram para a pecuária de corte e leite, que até os dias atuais predominam na economia rural. “Mas a agricultura também é promissora e hoje mesmo já vemos ótimos resultados em várias culturas. Muitos produtores rurais apostam na diversificação e o município tem ganhado com isso. A Prefeitura oferece assistência técnica, dias de campo, visitas técnicas e outras formas de apoio para quem quer melhorar e profissionalizar a produção agropecuária”, acrescentou Pozzobom.

Contribuem para a qualidade de vida da população o planejamento urbano, a arborização – são quase 150 mil árvores, dois grandes bosques urbanos e outras reservas menores – além de dois lagos, largas ruas e avenidas. Praças floridas e canteiros bem cuidados encantam os visitantes. Apesar do centro desenvolvido e verticalizado – Umuarama é uma das cidades com maior índice de verticalização no interior do Estado – a Capital da Amizade ainda guarda a ternura do pacato clima de interior.

Umuarama tem tudo de bom para uma grande cidade do interior. O salário médio mensal dos trabalhadores formais situa-se em torno de 2,5 salários-mínimos, com 35% da população ocupada (cerca de 40 mil pessoas). A taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade é de 97,9% e o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) é de 6 para os anos iniciais do ensino fundamental e 4,6 para os anos finais do ensino fundamental.

Em 2015, o ensino fundamental somava 11.884 alunos matriculados. Ainda de acordo com o IBGE, o PIB per capita era de R$ 25.190,74 em 2014 e o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) chegou a 0,761 (2010). Umuarama conta com cerca de 70 estabelecimentos na área de saúde. A área da unidade territorial é de 1.236,006 km². Mais de 80% da população conta com esgotamento sanitário adequado. A arborização de vias públicas atinge 95,5% e a urbanização se aproxima dos 90%.

TURISMO E LAZER
A Capital da Amizade é um polo de turismo de eventos em franca expansão. Umuarama está construindo um dos maiores e mais modernos centros de eventos do Paraná, ao lado do Parque de Exposições Dario Pimenta Nóbrega – na rodovia PR-323 – com um investimento que já passa dos R$ 11 milhões, em parceria com o Ministério do Turismo. Já foram concluídas a etapa do galpão, com 3,5 mil m² de área coberta livre, obras de infraestrutura e a construção do foyer. O auditório para 700 pessoas comodamente sentadas está pronto e a última etapa compreende obras complementares – menos de 10% do total do projeto.

As dimensões, sua localização e a cidade como ponto de referência devem atrair para Umuarama muitos eventos de negócios, prestação de serviço, realizações culturais e artísticas. O governo do Estado, grandes grupos empresariais e promotores demonstram interesse em trazer suas promoções à cidade em função dessa infraestrutura.
Além disso, a cidade tem outros pontos turísticos uma variedade de cachoeiras naturais, como as do Chuvisco e da Fumaça, nas nascentes do Ribeirão do Veado, em um vale bem preservado com rica fauna e flora; cachoeira e represa do Rio Desengano; cachoeira do Ventão, no córrego Itatiba; e cachoeira das Araras, na estrada Arara. O Lago Aratimbó é uma ampla área de passeio e lazer, praticamente no centro da cidade.

Existem ainda o Bosque Uirapuru e Bosque dos Xetá (ou Bosque do Índio, por conta da estátua gigante de um índio Xetá no portão de entrada), ambos no centro, com trilhas pavimentadas para caminhadas, parques e quiosques para churrasco e festas, além de ATI – Academia da Terceira Idade e atividades para a comunidade.
umuarama3
FESTAS
Periodicamente a cidade realiza a Festa do Frango na Telha, prato típico da cidade, promovida pelo Rotary Club anualmente; Encontro de Corais; Festival de Música; eventos alusivos ao aniversário do Município (26 de junho), com exposições automobilísticas, mostra da indústria têxtil, moveleira e agropecuária; Festa das Nações; Expo-Umuarama (feira agropecuária que expõe e comercializa gado e outros animais, mostra da indústria, comércio e serviços, com rodeios, leilões de gado e shows artísticos), no Parque de Exposições Dario Pimenta Nóbrega.

Considerada um lugar onde os amigos se encontram, Umuarama é conhecida pela receptividade e pelo carinho na acolhida a visitantes e novos moradores. Com uma população de origem rural, predominantemente, cultiva valores como a amizade, o companheirismo e a boa convivência, guardando tradições variadas da cultura mineira, gaúcha e do interior de São Paulo, seja na comida, nas músicas e no linguajar.

HISTÓRIA

Umuarama é capítulo de uma gloriosa epopeia idealizada na Inglaterra e concretizada pela Companhia Melhoramentos Norte do Paraná. Em 1924, o técnico em agricultura Lord Lovat veio ao Norte do Paraná, mas a falta de estradas o impediu de ir além dos 25 km da primitiva estrada de ferro. Para desbravar 350 km de floresta até o rio Paraná, Lovat organizou a Brasil Plantations, absorvida depois pela Paraná Plantations, e criou a subsidiária Companhia de Terras Norte do Paraná. O então gerente, Arthur Tomas, iniciou o estudo das condições climáticas e fertilidade do solo.

A companhia adquiriu 515 mil alqueires de ricas terras florestais, instalou escritórios e dedicou-se à exploração e povoamento. Em 1930 chegaram os primeiros colonos, que tiveram acesso a meios de transporte para comercializar seus produtos, auxílio na construção de moradias e cuidados médicos. Em 1944, um grupo brasileiro comprou a companhia e redistribuindo as terras, organizando fazendas de café e pecuária.
umuarama6
GLEBA CRUZEIRO
Com o nome de Cia Melhoramentos Norte do Paraná, o grupo colonizou 30 mil alqueires na “Gleba Cruzeiro”, onde surgiu Umuarama, inicialmente como distrito de Cruzeiro do Oeste, tendo como subprefeito Durval Seifert. O distrito se tornou município com o desmembramento em 25/07/1960 pela Lei nº 4.245. No lugar onde funcionava o escritório da companhia foi instalada a Prefeitura da recém-fundada cidade. Na mesma ocasião foi assinada a ata de fundação do Aeroporto. Em 1963 Umuarama passou a ser Comarca.

A primeira missa foi rezada em 16 de agosto de 1955, pelo Frei Estevão Maria, em frente ao cruzeiro Marco de Fé, onde está situada hoje a Igreja São Francisco de Assis. Os primeiros habitantes foram aventureiros atraídos pela nova região, vindos de diversos Estados. As famílias tinham hábitos e costumes diferenciados, dormiam em qualquer lugar, trabalhavam da derrubada da mata e alojavam-se em pequenas povoações às margens dos rios. As derrubadas deram lugar a plantações de café, cereais e posteriormente pastagens.

O primeiro prefeito, nomeado pelo então governador Moisés Lupion, foi Walter Zanotto Lopes. A primeira eleição municipal ocorreu em 8 de outubro de 1961 e o prefeito eleito foi Hênio Romagnolli (gestão 1961-1965). A Câmara Municipal foi instalada no dia 21 de novembro de 1961 e o primeiro presidente foi o vereador Otávio Barbosa da Silva.

Umuarama se localiza no vale dos rios Ivaí e Piquiri, no Planalto de Guarapuava, e é polo da 11ª Microrregião Administrativa do Estado. A altitude chega a 451,5 m, mas na média fica 430 m acima do nível do mar, com latitude 23º 47’ 55’’ Sul e longitude 53º 18’ 48’’ Oeste. A população, conforme a última estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 109.955 habitantes (2017).

Leia mais

Deixe uma resposta