Curtas. Ed. 193

curtas

Madonna no morro
Madonna veio ao Brasil para o casamento de seu empresário, Guy Oseary, com a modelo brasileira Michelle Alves. O turismo feito pela cantora incluiu a Casa Amarela, centro cultural que promove eventos culturais para os moradores do Morro da Providência, no Centro do Rio de Janeiro. Aproveitou a passadinha e disparou para o mundo a foto com policiais armados com fuzis. A polícia do Rio também opera como figurante para estrelas internacionais, na mesma semana em que uma turista espanhola foi morta com um tiro disparado por um tenente da PM.

Matei o presidente
Em 1992, Gabriel o Pensador lançou o rap “To feliz (matei o presidente)”, era sobre Fernando Collor de Mello. Agora, o rapper fez nova versão, inspirada, claro, em Michel Temer: “To feliz (matei o presidente) 2”. A composição é sucesso: no final do mês passado já passava de 2 milhões de visualizações no Youtube.

Troca de guarda
Mauro Ignácio, vereador da Capital, sugeriu que a prefeitura troque o nome da Guarda Municipal para Polícia Municipal. Segundo ele, ‘isso trará à população o conhecimento da real função da guarda, sem alterar as funções da corporação, nem o plano de carreira ou remuneração’. Para isso, uma série de coisas tem que ser revistas, desde os documentos dos guardas até a plotagem dos veículos.

Vaiado
Mesmo com todo o aparato montado pelo governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) em torno do ex-presidente Lula (PT), com a contratação de todo um esquema para dar a impressão de grande apelo popular, não foi possível conter o repúdio da população mineira. O coro de “ladrão” ecoou forte, vencendo a megaestrutura providenciada pelo governador petista.

Sem aumento
O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a suspensão nacional de todos os processos que tratam de revisão geral anual da remuneração de servidores públicos. A decisão foi tomada em recurso ajuizado pelo governo de Roraima contra decisão do Tribunal de Justiça do estado que julgou procedente pedido de um servidor, concedendo a revisão geral anual de 5% referente ao ano de 2003.

Não larga o osso
A irritação no ninho tucano é ampla, geral e irrestrita. Aécio Neves não quer de jeito nenhum renunciar à presidência do partido. Ele conversou com Tasso Jereissati, presidente interino dos tucanos. O senador cearense disse que seu colega mineiro pediu para continuar como presidente licenciado. O argumento, além da proximidade da convenção do PSDB (no início de dezembro), é que uma renúncia definitiva equivaleria a “confissão de culpa”.

Pagou, saiu
Ex-chefe da Agricultura no Paraná é solto após fiança de R$ 100 mil. Preso em março, quando a Operação Carne Fraca foi deflagrada pela Polícia Federal, Gil Bueno de Magalhães obteve alvará de soltura, com o fim das oitivas das testemunhas de acusação e de defesa. Para obter o benefício, além do pagamento de uma fiança de R$ 100 mil, o juiz impôs a ele algumas restrições, como o comparecimento bimestral à Justiça Federal “para justificar suas atividades”. Perto de completar 70 anos de idade, ele está morando agora no município de Castro, no Paraná.

Parcela em 700 anos, por favor
Sem perspectiva de conseguir quitar dívidas de multas eleitorais acumuladas por anos, dirigentes partidários afirmam que pretendem recorrer às novas regras de parcelamento aprovadas no projeto de reforma política para renegociar os pagamentos. A nova lei prevê que a parcela mensal não ultrapasse 2% dos repasses do Fundo Partidário. Há casos em que o parcelamento pode se alongar por até 698 anos, o que, na prática, representa quase uma “anistia” dessas dívidas.

Leia mais

Deixe uma resposta