Estresse pós-férias – Abulia

edmilson

Sabe aquela sensação estranha e incômoda de voltar a trabalhar após as férias? Aquela preguiça inicial seguida de desânimo até para se arrumar? Não se critique e nem se desespere, não é só com você. Acomete todo mundo em grau variado. Uns mais, outros menos. Não é uma doença, mas sim, uma condição fisiológica, também conhecida por abulia. Ocorre uma mudança na química cerebral, levando para essa depressão do humor. Precisa alguns dias para “pegar no tranco” de novo. A boa noticia é que tudo volta ao normal ao cabo desse período.

Entender como e o porquê disso, foi motivo de muito estudo. Observou-se que o problema começa antes mesmo do período das férias. Na ânsia de deixar tudo bem encaminhado para poder tirar férias “tranqüilo”, normalmente há uma sobrecarga de trabalho anterior. Nos iludimos achando que se assim agirmos, ao voltarmos as coisas estarão como as deixamos. Não levamos em consideração a dinâmica do trabalho e as mudanças rápidas que a regem atualmente.

Existem estudos que nos mostram que, uma semana após o retorno das férias, 72% das pessoas reclamam estar tão estressadas quanto antes delas.

Outro fator que ronda o trabalhador é o medo de tirar férias. Com as oscilações que nossa economia vive, o medo em voltar e ver sua vaga ameaçada, tira o prazer em gozar as férias.

Um estudo feito pela Internacional Stress Management Association (ISMA-BR), mostrou os três principais fatores pelos quais as pessoas eram resistentes em tirar férias:
– Medo de voltar e não encontrar mais a vaga;
– Incomodadas por sentirem-se às margens do processo, já que decisões importantes certamente seriam tomadas na sua ausência;
– Medo que o trabalho fosse absorvido pelos colegas.

Imaginem o sofrimento por antecipação diante dessas possibilidades.

Pessoas trabalham cada vez mais no afã de garantir seus empregos. Há duas décadas trabalhava-se em torno de 45 horas semanais. Hoje se chega a 54 horas semanais, praticamente 10 horas por dia. Claro que para alguns é uma decisão pessoal. Pessoas que se comportam como “workaholic”, não tendo medida para o trabalho, abrindo mão constantemente de períodos de descanso. Nesses casos o período de férias passa a ser estressante para essas pessoas.

Uma maneira de minimizar essa situação é a divisão em períodos. Para os liberais isso é mais fácil, já os assalariados esbarram no rigor do que a lei prevê. Parar sempre que é possível, em períodos de 10 dias emendando feriados, passa a ser uma maneira dos viciados em trabalho poderem se desligar um pouco.

Um estudo mostrou que dos 30 dias de férias, os 10 primeiros funcionam como adaptação. Do décimo ao vigésimo são as férias verdadeiras, daí para frente já se prepara para a volta. Resumo da ópera, verdadeiramente, descansa-se 10 dias dos 30 parados.

Então amigo, se você está voltando das férias e ainda não conseguiu engrenar na rotina do trabalho, relaxe, você é normal. Esse é apenas seu período de abulia. Mas se isso persistir muito, aí sim, vale a pena rever seus conceitos e também o seu trabalho.

Leia mais

Deixe uma resposta