Editorial. Ed. 202

editorial

Abriu-se a temporada das campanhas eleitorais. Prepare a sua paciência. Eles estão mais uma vez nas ruas, nas igrejas, nos shoppings, nos cinemas, nos terreiros, nos restaurantes, nos bares, nos bordéis. Onde você for encontrará um. Cuidado! A qualquer momento você pode ser atacado por um ou por vários ao mesmo tempo e pode levar uma chuva de perdigotos.

Fique atento! Os sinais imediatos para identificá-los são o sorriso armado, permanente, um certo ar de subserviência quando explicam suas teses, a atenção inusitada quando você fala, além dos galanteios, elogios, enfim, todo o arsenal de bajulação e conquista.

São os candidatos. Abraçam velhinhas, comparecem a todos os eventos que reúnam mais de cinco pessoas, de festa de igreja a formaturas, beijam criancinhas, lançam perdigotos sobre os bebês, fazem bilu-bilu, sorriem para as mães, gastam elogios para as moças, chamam os mais novos de meu jovem, distribuem santinhos e se transformam nos insuportáveis chatos de galocha da política nativa que aparecem um ano sim outro não nos períodos eleitorais para tentar conquistar o voto que lhes dará um mandato.

Em outubro deste ano, os paranaenses vão eleger 54 deputados estaduais, 30 deputados federais, dois senadores, um governador e seu vice, além do presidente da República. Milhares disputam essas vagas que dão acesso ao poder e suas maravilhas, que incluem prebendas e sinecuras para os parentes, agregados e cabos eleitorais, benesses, comissões, negócios, enfim, tudo aquilo que o poder pode proporcionar aos políticos da catadura que caracteriza a maioria dos nossos nesta área úmida do planeta.

Há mais. Além dos candidatos, você terá que suportar o cabo eleitoral, que é o chato de galochas sem pedigree. “Você já escolheu seu candidato?”, será a pergunta a atenazar a nossa paciência em 2018. Atenazar (ou atazanar) significa apertar com tenaz, ou seja, mortificar, aborrecer, importunar, torturar.

Ano eleitoral é ano de torturadores políticos. Não cometa a asneira (comportar-se como um asno, burro, jumento) de revelar seu candidato a um desses torturadores. Se coincidir com o dele, você receberá tapinhas, sorrisos, abraços e, quem sabe, alguma promessa de duvidoso valor moral. Se não coincidir, você será brutalmente atazanado pelos chatos de galochas.

Leia mais

Deixe uma resposta