marianna

Hoje senti saudades

Da sua mão sobre a minha

Do cheiro dos pães doces e da mesa posta

da liberdade infinita da represa larga à minha frente

das árvores que balançavam ao vento

das romãs maduras e das mangas caídas

 

Hoje senti saudades

de qualquer suspiro

de qualquer brisa

de qualquer planta

de alguma cor que não existe mais

 

senti saudades das borboletas e da sua morte

dos vaga-lumes que voavam no terreno baldio

e os capturava em uma garrafa de vidro

para iluminar meu escuro

 

senti saudades

das músicas que dançava sozinha

nas lajotas frias daquele tempo árido

da terra vermelha

que o ar soprava com seu fôlego denso

das painas que espalhavam as plumas

das histórias descobertas nos livros

do mistério sempre ao redor

 

senti saudades

de voar

de inventar paisagens

de algo que não existe mais

 

hoje senti saudades

de mim

Leia mais

Deixe uma resposta