Guilherme Voitch. Ed. 209

voitch0_abre

Montadoras anunciam investimentos e contratações no Paraná

A indústria automotiva brasileira prevê um ano de recuperação para o setor com alta de até 11,4% nas vendas. O otimismo vem rendendo frutos para o Paraná, com anúncio de investimentos e contratações.

No último dia 19 de fevereiro, a Volkswagen lançou o T-Cross, modelo SUV, que a montadora espera ser o gatilho para voltar à liderança do mercado brasileiro de automóveis – atualmente a Volks aparece atrás da GM. A fabricação do veículo levou a fábrica de São José dos Pinhais a chamar de volta 500 funcionários que estavam em lay-off (suspensão temporária do contrato de trabalho) desde abril.

O veículo é 70% nacionalizado e foi lançado no 20º aniversário da planta. De acordo com o presidente da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si, a aposta está relacionada ao crescimento do segmento no Brasil. “O mercado de SUV é o que mais cresce, com alta de 22,1% em 2018, enquanto outros cresceram 10,6% no mesmo período.”

A Volvo também anunciou contratações. A empresa, que tem fábrica na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), começou o ano chamando 300 novos funcionários, aumentando o segundo turno de caminhões e ampliando em mais de R$ 250 milhões os investimentos até 2020.

A empresa conta agora com 3,7 mil funcionários na fábrica de Curitiba. No ano passado, a montadora sueca vendeu 10.642 unidades nos segmentos classificados como pesados e semipesados, com capacidade de transportar mais de 16 toneladas de carga.

Em março do ano passado, a Renault do Brasil já havia inaugurado, em sua fábrica de São José dos Pinhais, a Curitiba Injeção de Alumínio, resultado de um investimento de R$ 350 milhões. Com cerca de 100 profissionais trabalhando em dois turnos, a Curitiba Injeção de Alumínio tem capacidade produtiva anual de 250 mil blocos e 250 mil cabeçotes do motor 1.6 Sce.

Gaúchos avançam

A Quero-Quero, rede gaúcha de varejo, prepara expansão no Paraná. A empresa tem unidades em nove municípios paranaenses do Oeste, Sudoeste e Sul. Para 2019 a ideia é avançar rumo ao Norte do estado.

Sarandi, a transparente

A prefeitura de Sarandi foi considerada a mais transparente do Paraná, de acordo com a pesquisa Escala Brasil Transparente (EBT) – Avaliação 360º, divulgada pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU). No ranking nacional, a cidade ficou na sétima posição.

Lançamento 

voitch1_reiss_capa

Carlos Reiss, coordenador-geral do Museu do Holocausto, lançou, no último dia 24 de fevereiro, o livro Luz Sobre o Caos – Educação e Memória do Holocausto. A obra traz uma reflexão sobre o genocídio do povo judeu para as gerações mais jovens. O lançamento ocorreu na sede do Museu, no Bom Retiro.

Colosso do rock

Autointitulado maior bar de rock da América Latina, o Tork and Roll abriu suas portas em fevereiro, no Rebouças. Em 2,8 mil metros quadrados funciona um palco de 11 metros por cinco e um bar central com balcão de 360 graus. Inspirado pelos bares americanos com dançarinas, em certos horários da noite as atendentes dançarão em cima do balcão.

Novo presidente 

voitch2_ocepar

O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, assumiu a coordenação do G7, grupo de entidades representativas do setor produtivo paranaense. Ele substitui Darci Piana, presidente da Fecomércio (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Paraná) e vice-governador do Paraná.

Crédito foto: Regis Santos / Assessoria Sebrae/PR

Reencontro 

voitch3_reginacase

Regina Casé volta aos palcos do teatro depois de 25 anos. O reencontro acontece no Guairão, em 28 de março, com a peça Recital da Onça, um dos destaques do Festival de Teatro de Curitiba. A peça narra as aventuras de uma professora brasileira que recebe um convite para palestra em Harvard.

Curtas & cortantes

  • A vida não ainda fácil para tradicionais partidos políticos do Paraná. O MDB estuda vender sua sede na Vicente Machado para equilibrar o caixa. O PSDB abandonou a sede da Mauá adquirida com pompa e circunstância há menos de quatro anos.
  • Com dois meses de mandato, o governador Ratinho Junior já tem uma divisão bem clara do seu secretariado. Há quem esteja perto da reprovação, a turma que está na média e os aprovados com louvor.
  • Um observador do Centro Cívico garante que a onda que abalou a estrutura política nas eleições do ano passado pode se manter forte até o ano que vem. Um cenário ruim, nesse caso, para quem busca a reeleição.

 

Leia mais

Deixe uma resposta