Curitiba, ecologicamente correta

Acabo de chegar de um passeio por um pequeno trajeto em Curitiba onde encontrei muitas novidades que me chamaram atenção. Fiquei impressionada e muito orgulhosa ao ver como nossa cidade está ecologicamente correta. Faz um tempo que presto atenção nas bicicletas amarelas e nos patinetes verdes espalhados pela cidade. Quando me explicaram do que se tratava e como funcionava, baixei em meu celular o aplicativo Yellow e me surpreendi.

Após colocar crédito no aplicativo, quando preciso de uma bicicleta para ir de um lugar para outro, só é necessário ver no mapa onde elas estão e fazer um check-in. Assim, a bicicleta ou o patinete são liberados automaticamente. Quando chego ao meu destino de trabalho, deixo a bike encostada em uma árvore ou algo do gênero sem problemas e entro em minha reunião. O sistema da empresa opera através de um chip que fica embaixo do banco onde está cada bicicleta. Sinceramente, é uma ideia sensacional! Sem contar que além da bicicleta tem o patinete. No final da tarde, quando todos estão voltando para casa, parece que a ciclovia está tão cheia quanto a rua. Incrível!

Ainda sobre as bicicletas, agora temos o aplicativo Ecobike para delivery. Parece que o motoboy hoje tem outras alternativas de trabalho. Também achei demais. Outro elemento que me chamou atenção foram alguns vasos de plantas com um novo design. Eles são coloridos, supermodernos e eu amei. Entretanto, o mais sensacional é que em suas bases existe uma quantidade de água estocada em compartimento fechado. É dessa forma que a planta suga a quantidade necessária de água. Essa ideia parte do famoso princípio do pires com água e o vaso em cima, porém este não causa dengue, pois está fechado.

Mais uma das incríveis novidades são os meios para facilitar o famoso processo da alimentação saudável. Todo mundo está se conscientizando da importância desse tema e para isso muitos restaurantes estão ajudando. Esses dias estive em um desses restaurantes e o que chamou minha atenção foram as paredes do estacionamento externo que estava cheia de vasos verdes. Quando cheguei mais perto, vieram me explicar o que é um jardim vertical. Nos vasos estão plantadas as verduras e os temperos das saladas que são servidas no restaurante. Lembrando que o jardim vertical não contém nenhum agrotóxico. Lógico que incluí a salada em meu almoço.

Continuando com o tema da alimentação, mais uma novidade que me encantou foi a Horta Comunitária. São terrenos abandonados ou vazios que estão em processo de reaproveitamento para ser uma horta no bairro. Lógico que assim como o síndico do prédio, há também o administrador voluntário dessa horta. As verduras são quase de graça e qualquer valor pago é só para manutenção do local. A iniciativa dos moradores é fantástica.

Para concluir, depois de falar em transporte e alimentação, não poderia deixar de lado os exercícios físicos. Sempre existem milhares de histórias e desculpas para fugir dos famosos exercícios. A preguiça em primeiro lugar. Mas vou tentar motivar vocês. Temos em Curitiba grandes parques com áreas verdes, estrutura e especialistas voluntários em quase todos os locais. Podemos praticar exercícios sem gastar um centavo, só precisamos pensar nos mais diversos parques da famosa cidade verde. No meu ponto de vista, melhor impossível.

Caso esteja pensando: “o parque Barigui é muito longe da minha casa!”, também não é uma desculpa e não se perdoa, pois em quase todos os bairros existem as famosas Estações de Ginástica ao ar livre. Ou seja, caso você não esteja fazendo exercícios, pense na cidade ecologicamente correta e lembre-se de que seu corpo e sua saúde também podem melhorar com uma vida baseada no lema do “ecologicamente correta”. Sendo assim, acho que vale a reflexão das nossas atitudes em relação ao verde de nossa cidade e ao verde do nosso próprio corpo.

Deixe uma resposta