Inaugurado o Cine Passeio em Curitiba

Situado na rua Riachuelo, 410, foi aberto no último dia 27 de março este espaço que conta com duas salas de exibição com 90 lugares, equipadas com projetores digitais DCP e som de processadores Dolby com 5.1 canais de som. Dispõe ainda de cafeteria que trabalha com cafés especiais e produtos selecionados, como vinhos e cervejas artesanais. O complexo tem no subsolo área dedicada às ações de formação que recebeu o nome de “Espaço Valêncio Xavier”, homenagem ao escritor, cineasta e criador da Cinemateca de Curitiba, falecido em 2008. No segundo pavimento, há uma sala para cursos e workshops na área de audiovisual dotada de equipamentos para videoconferência, além da sala de cinema Ritz. A sala Cine Luz fica no térreo. O terraço de 500 metros quadrados possui área para eventos e possibilidade de cinema a céu aberto. O cinema possui ainda a segunda unidade do Worktiba e uma sala de video on demand com tela de 4K de 86 polegadas, som 5.1 que pode ser reservada para consumo de conteúdos de livre escolha do usuário.

O Cine Passeio ocupa uma área de 2.597 metros quadrados, um antigo quartel do exército, e sua inauguração integra o projeto da prefeitura de revitalização de áreas degradadas. Em frente está em andamento a recuperação da “Casa Lerner”.

O filme de abertura foi “Albatroz”, com a presença dos atores Alexandre Nero e Maria Flor e do diretor Daniel Augusto.

As sessões de quinta a domingo custam 16 reais a inteira e 8 a meia-entrada. Às terças e quartas, 12 e 6, respectivamente. Nas segundas não haverá sessões. Estão programadas uma vez ao mês matinadas de domingos às 10h30 com filmes infantis e sessões da meia-noite às sextas-feiras, tentativas de reviver antigas tradições dos cinemas de rua, como as matinadas do Cine Ópera e as sessões da meia-noite do Cine Astor.

Anunciaram também o lançamento do “Cartão Clube Passeio”, com sistema de pontuação, que oferece descontos e promoções, a partir de maio.

A administração deste espaço da Fundação Cultural de Curitiba está a cargo do Instituto Curitiba de Arte e Cultura e a curadoria de Marden Machado e Marcus Jorge. O instituto também administra a Capela Santa Maria.

Espero que tenhamos a oportunidade de ver filmes fora dos circuitos de shoppings, inclusive de filmes que passam em outras cidades e que os curitibanos não podem ver por aqui, além do prazer de frequentar um cinema de rua, já que quase dez anos se passaram desde o fechamento do Cine Luz, o último cinema de rua, na praça Santos Andrade.

Todavia, já na semana inicial, programaram “Um banho de vida”, comediazinha francesa com direção de Gilles Lellouche, que já estava há uma semana em um shopping da cidade, e “Vox Lux, o preço da fama”, filme americano com Natalie Portman e direção de Brady Corbet também em exibição em outras salas e cuja crítica não foi das melhores. Não precisaríamos de um investimento de 10 milhões (segundo ouvi dizer) para este tipo de filmes, e espero ardentemente que a programação se faça com bons filmes que estão disponíveis nas distribuidoras, que não encontram espaço em Curitiba e sejam realmente alternativas para as salas de shoppings, que só se interessam pelos filmes com apelo comercial para vender seus lanches a preços exorbitantes.

Mesmo filmes já lançados há meses no Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre, Recife ou Belo Horizonte e que não passaram em Curitiba seriam muito bem-vindos, formando um público fiel e que gosta de cinema com conteúdo.

 

 

 

LEGENDAS (por ordem de aparição)

Fachada Cine Passeio

Cafeteria

Sala de cinema

Sala Video on demand

Sala Valêncio Xavier

 

Deixe uma resposta