Laís Pires. Ed. 212

Junho é um mês festivo pela própria natureza. Além do Dia dos Namorados, temos todas as festas juninas e shows incríveis. Aqui algumas dicas imperdíveis:

 

 

 

Milton Nascimento apresenta, em Curitiba, a turnê “Clube da Esquina”, uma homenagem a um dos movimentos mais importantes da música brasileira, surgido nos anos 1970, em Minas Gerais.

O show reúne canções dos discos “Clube da Esquina 1 e 2”, lançados, respectivamente, em 1972 e 1978, e clássicos de outros álbuns de Bituca, que também fazem parte do repertório.

A turnê de Milton Nascimento chega a Curitiba no dia 1.º de junho, às 21 horas, no Guairão.

 

 

 

O Trio Paranaense, formado pelo violinista Winston Ramalho, a violoncelista Adriane Savytzky e o pianista Luiz Guilherme Pozzi, apresenta obras clássicas em um concerto camerístico nos palcos da Capela Santa Maria, nos dias 4 e 5 de junho, às 20 horas, e no dia 8, no Paço da Liberdade, ao meio-dia e às 5 da tarde. A programação do concerto “Trio Paranaense e o Romantismo” traz em duo (violoncelo e piano) a “Sonata em sol menor para violoncelo e piano opus 19”, do compositor russo Sergei Rachmaninoff (1873-1943), um dos maiores pianistas da história; e a “Sonata para violino e piano em Mi bemol maior opus 18”, de Richard Strauss (1864-1949), escrita quando o compositor estava com 24 anos. O grupo camerístico encerra a apresentação com “Trio em dó menor opus 101”, de Johannes Brahms (1833-1897), composta em 1886 para violino, violoncelo e piano. Informações no telefone: 99962-4164

 

 

 

O cantor pernambucano Johnny Hooker traz a Curitiba a turnê do álbum “Coração”, o segundo de sua carreira. No repertório, músicas que misturam samba, brega, frevo, guitarrada e axé. Johnny Hooker se apresenta no dia 7 de junho, às 20 horas, na Ópera de Arame. A abertura do show fica por conta da banda curitibana Mulamba.

 

 

De junho a outubro, a cidade recebe o Conversarte, evento multiplataforma que reúne uma série de exposições que dialogam com as temáticas de cada bate-papo, com apresentação de trabalhos de artistas locais. Reunindo grandes nomes e personalidades do cenário cultural brasileiro, como Andrucha Waddington, André Abujamra, Fernanda Young, Gringo Cardia, Guilherme Kastrup, Fabrício Carpinejar, Nelson Motta, Miguel Falabella, Fause Haten e Alexandre Herchcovitch, o II Conversarte promove uma série de encontros a fim de discutir os mais diversos segmentos artísticos e suas convergências.

Nesta edição, os encontros terão como foco os impactos da cultura na economia criativa, como os temas cinema, literatura, música, teatro e moda. O projeto marca o início da parceria da Montenegro Produções Culturais com o Hospital Erasto Gaertner, que passará a ser beneficiado com a receita de venda dos ingressos, além de receber em suas instalações oficinas artísticas evolvendo pacientes, familiares e colaboradores do hospital. O átrio do Pátio Batel recebe um bate-papo por mês, que começa no dia 4 de junho com um encontro entre o diretor de cinema Andrucha Waddington e o multi-instrumentista André Abujamra. De 4 de junho a 1.º de outubro, no Pátio Batel: Av. do Batel, 1868 – Batel. Informações: (41) 3057-1069.

 

 

 

Nathalia Timberg, uma das maiores artistas brasileiras, chega a Curitiba com a peça “Através da Íris”. Trata-se de um solo da atriz com texto inédito de Cacau Hygino e direção de Maria Maya, inspirada nas ideias arrojadas e no humor ácido de Iris Apfel, uma nova-iorquina, 97 anos, empresária, designer de interiores e hoje uma das maiores referências mundiais na arte pop e no mundo fashion. A peça é um elogio à liberdade de ser e de se expressar, em qualquer tempo da vida. O espetáculo faz parte das comemorações dos 90 anos de Nathalia Timberg, com apresentações no Guairinha, dia 16 de junho, domingo, em duas sessões: às 17h e às 19h30. Os ingressos estão à venda a partir de R$ 30.

Foto: Rodrigo Lopes

 

 

 

O cantor alagoano Djavan retorna a Curitiba. O músico se apresenta no Teatro Positivo, no dia 28 de junho, às 21 horas, com a turnê de seu mais novo álbum, “Vesúvio”. “Cedo ou Tarde”, “Solitude” e “Vesúvio”, músicas do álbum, estão garantidas no repertório, e grandes sucessos do cantor de outras épocas, como “Flor do Medo”, “Te Devoro” e “Samurai” também serão lembradas. Mas o que permeia mesmo este novo projeto é o sotaque “djavânico” presente em todas as canções, tanto no aspecto melódico, quanto no texto recheado de metáforas. “Vesúvio” é um disco com 13 faixas, que registram a nova safra de um compositor que completou 70 anos em janeiro passado e que faz dele, na maturidade plena, um dos nomes de maior representatividade no universo da música popular brasileira contemporânea.

Deixe uma resposta