O novo desafio de Petraglia

Que Mario Celso Petraglia é um homem à frente do seu tempo ninguém duvida. Nem os inimigos. Também é fato que o Condottiere athleticano honrou todos os compromissos que assumiu junto à torcida. Entre os principais exemplos, o título nacional (prometido até 2005, mas conquistado em 2001) e a realização da Copa do Mundo de 2014 em Curitiba, quando a Baixada teve o melhor custo-benefício entre as Arenas e foi um dos raros estádios a ficar de fora do Cartel que hoje é investigado por autoridades.

Agora, além do projeto de conquistar um campeonato mundial até 2024, Petraglia assume outro desafio.

O homem-forte athleticano quer dar um novo e decisivo passo. Pensando em uma gestão sustentável, que permita saúde financeira e alto investimento em “bola”, Mario Celso Petraglia tomou para si a missão de tornar o Athletico Paranaense a sexta maior arrecadação do futebol nacional.

O caminho é longo, mas já começa a ser trilhado. Vejamos alguns passos decisivos nessa tarefa:

– Um Centro de Treinamento e uma metodologia que formam atletas de alto desempenho, que, vitoriosos em campo, chamam atenção dos principais clubes europeus. O Athletico, hoje, consegue ser uma ponte direta para a Europa. O que permite ao clube algumas das maiores negociações do futebol brasileiro, a exemplo do Lodi – a maior venda de um lateral que deixou o país.

– O protagonismo e a competitividade em campo rendem frutos e premiações generosas. Petraglia quer um Atlhetico em condições de pensar em vencer qualquer competição. Para ilustrar a importância disso no orçamento de um clube: o Campeão da Copa do Brasil deste ano levará para os cofres mais de R$ 50 milhões.

– A hercúlea briga contra as diferenças pornográficas nas cotas de Televisão. Petraglia bate de frente com a Globo et caterva para tentar uma divisão minimamente mais justa – passo fundamental para potencializar a receita do clube.

Bem, estes são alguns indícios do que já está em curso. Que ninguém duvide do que virá. Ao bater de frente com as Federações e não aceitar a esmola da Rede Globo, Petraglia mostra que é possível alcançar o protagonismo mesmo com as resistências políticas e econômicas a quem não pertence ao “eixo do mal”.

Deixe uma resposta