Prateleira. Ed. 218

Irmanados em Mãe

A indicação do mês é de Ieda Godoy, conhecida proprietária de bares na cidade de Curitiba. É também modelo, atriz e escreve.

Ieda indicou O filho de mil homens de Valter Hugo Mãe, escritor, editor e artista plástico. Sobre O filho, José Saramago disse em 2007 que a leitura foi como “assistir a um novo parto da língua portuguesa”. Do nascimento da nova língua à criação de uma irmandade mundana, as urgências alcançam o labor da palavra e também a do contato humano. Mãe, ao escrever a história de Crisóstomo, um pescador de quarenta anos com imensa vontade de ser pai, atravessa os temas da solidão, das vontades não ditas, do amor e da criação.

 

 

Infância

A memória, feita de lembranças e esquecimentos, é o que nos mantem como incompletos e incessantes. Alguns, como Graciliano Ramos, decidem por colocar a seleção no papel. Infância é um texto autobiográfico do autor de Vidas Secas sobre sua juventude, a contar um período de oito anos. Da infância à adolescência, a obra consagra o início para a sensibilidade e para a consciência. A troca do mundo possível, pai, mãe e um ambiente severo, e a constatação de injustiça, resignação e inconformismo. E então, o encontro com a literatura.

 

A voz da mulher estranha

Para falar de Silvina Ocampo, Mariana Enriquez escreveu que em nossa época, a voz de uma mulher estranha descobriu quem a escutasse. Ser uma mulher estranha e ser lida, mesmo que depois. Ocampo nasceu em 1903, foi muito próxima do círculo poderoso da literatura argentina, amiga de Borges, companheira de Bioy. Diz-se que por isso ficou no segundo plano, mesmo com sua obra resenhada, não teve a mesma repercussão. Enriquez traz a dúvida, talvez Ocampo tenha escolhido a liberdade da intimidade, recusando-se a dar entrevistas ou demorando para concedê-las. Em todo caso, seu livro de contos, A fúria, parece ter encontrado seu espaço. A acumulação de temas em seus contos é o que fundamenta sua obra, agora a ser lida pela tradução de Livia Dersola pela Companhia das Letras.

 

Deixe uma resposta