A demissão de Sérgio Moro

O juiz Sérgio Moro

O ministro Sergio Moro (Justiça) pediu demissão a Jair Bolsonaro nesta quinta-feira (23) ao ser informado pelo presidente da decisão de trocar a diretoria-geral da Polícia Federal, ocupada então por Maurício Valeixo.

Valeixo foi exonerado do cargo “a pedido” hoje (24) pela manhã, segundo decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, e publicado no “Diário Oficial da União”.

Moro, no entanto, foi pego de surpresa pela exoneração – que não ocorreu “a pedido” como diz o Diário Oficial – e ficou indignado. O ministro não assinou a demissão e não esperava que isso ocorresse nesta sexta. Como o cargo é de livre nomeação do presidente, o ministro não precisaria assinar o despacho.

No pronunciamento, o ex-juiz federal disse não ser verdadeira a intenção de Valeixo de deixar o cargo. O diretor-geral da PF foi, segundo Moro, coagido a sair.

“Eu não tinha como aceitar essa substituição em respeito à minha biografia”, afirmou Moro.

O ex-juiz também se lamentou por ter perdido os 22 anos da magistratura federal.

“Infelizmente é um caminho sem volta, mas sabia dos riscos. E mais adiante vou procurar um emprego, pois não enriqueci nem como magistrado nem como ministro.”

VEJA ABAIXO O PRONUNCIAMENTO DE DEMISSÃO DE MORO

Deixe uma resposta