Os três Sócrates (mais o de Xantipa)

simoes

Confesso que ao tomar contato pela primeira vez com o retrato de Sócrates “pintado” pelo seu amigo e discípulo Platão, em alguns dos seus “Diálogos” admiráveis, cheguei a pensar – e sei que não estava sozinho nessa concepção privativa – que se tratava de uma criatura, de um personagem, talvez até mesmo de um heterônimo engendrado pela superior criatividade platônica. […]

Continue lendo »

Recuerdos de Carnaval

carnaval

O carnaval ficou tão distante desses dias que vivemos hoje que parece que foi ano passado. Mas com a folia beirando o mês de março não houve jeito de tratar do assunto na edição passada. Por isso, leitores, peço licença para esse texto micareta. A observar de longe àqueles dias intensos algumas coisas têm que ser ditas. A primeira delas, […]

Continue lendo »

Um livro que canta

adriana-0-abre (1)

A vida de Adriana Sydor tem trilha sonora. Enquanto a maioria de nós guarda na memória afetiva uma ou outra canção que invoca momentos importantes, a jornalista, blogueira e escritora carrega um repertório inteiro firmemente entrelaçado em sua história pessoal. Adriana trabalha com música há muito tempo e da convivência diária veio a autoridade para falar do assunto em crônicas […]

Continue lendo »

As mulheres do Café Alvorada

poesia

“Arre, estou farto de semideuses! Onde é que há gente no mundo?” Fernando Pessoa – Poema em linha reta As mulheres do Café Alvorada ouviam muito, escutavam nada. Transportavam um cemitério na memória. Uma dizia: “Ah! Morreu?… que pena… ontem servi cafezinho pra ele… Existiam, tranquilas, fugindo sempre, pela porta em frente, onde está o placard dos mortos. Caminhantes verticalizadas, […]

Continue lendo »

O mais belo texto do mundo

simoes 0 abre

No final dos anos noventa, um conceituado crítico e ensaísta francês, Jean-Pierre Thibaudat, tinha oportunidade de publicar no hebdomadário francês “Liberation”, um interessantíssimo artigo. Qual o título? “Le plus beau texte du monde”. Dele me apropriei, aliás, devidamente traduzido para o vernáculo, para intitular o escrito fluente. A que texto – e autor – estaria se referindo o escritor francês? […]

Continue lendo »

O indomável jornalismo da América Latina

01-2

“Ir contra a corrente. Fazer jornalismo de fôlego ainda que por ele, nos nossos primeiros anos, os grandes guias do jornalismo na internet nos previram uma morte breve precedida por pulsantes estertores. Num sentido mais literal, esses mesmos desejos foram expressados também por pessoas a quem incomodamos”. Esta frase, da equipe do salvadorenho El Faro, sintetiza o pensamento do ofício […]

Continue lendo »
1 2 3 10