Russos na terra dos pinheirais

russos_0_abre

O fim da União Soviética decretou o fim da vida na Rússia para o casal Igor Pisnitchenko e Tatiana Tarassova. A instabilidade socioeconômica e a incerteza do que estava por vir somaram-se às dificuldades de receberem seus próprios salários. Mesmo tendo no currículo atuações no Instituto de Física Atmosférica da Academia Russa de Ciências, os pesquisadores da área climática enfrentavam […]

Continue lendo »

A casa no lago

cronica_pellanda_0_abre

  Estou de pé, às margens do lago drenado do Passeio Público. Ao meu lado, um último biguá contempla, perplexo, o leito de concreto do grande tanque. Para ele, este é um cenário de sonho. Um pesadelo tornado real. Nasceu para mergulhar, mas não há água nem profundeza. Apenas planície. Na falta do que fazer, me faz companhia. Grato, retribuo […]

Continue lendo »

Dá-lhe, Curitiba!

cronica_diego_0_abre

  – Quaaalquer quantia, pessoal! Quaaalquer quantia! A voz ressoa pelo Santa Cândida-Capão Raso às 8 horas da matina. Quem dormia, cochilava ou mexia no celular leva um ligeiro susto. Mas nada que tire a concentração dos seus afazeres. – Essa quantia será usada para a compra da minha perna mecânica. Assim que termina, o dono da voz se equilibra […]

Continue lendo »

Um novo olhar (crítico) sobre a “Opus Majus” de Albert Camus

simoes (1)

1 O que representa, em última análise, “A peste”? O romance é plurissignificante, polissêmico. Não será possível captar nele um significado, uma interpretação, uma “leitura” unívoca. Começa por participar do simbólico e do imagético. É fábula, alegoria, parábola. Mais do que isso: metáfora transparente. Suma antiteológica (fragmento da suma que é a “opera omnia” camusiana), reflexão pascaliana (só em parte, […]

Continue lendo »

Percepção microscópica do real

marcio_0_abre_opc2

No aconchegante bistrô Café Tiramisù, no Museu Guido Viaro, em Curitiba, o escritor Marcio Renato dos Santos lançou A certeza das coisas impossíveis, seu sétimo livro de contos — evento realizado no dia 3 de março deste ano. Com a simpatia que lhe é peculiar, o escritor recebeu calorosamente muitos amigos, familiares e escritores. A presença do escritor Cristovão Tezza, […]

Continue lendo »

Uma obra-prima: “A Peste”, de Camus

simoes_0_abre

1 Releio, com um frêmito interior de emoção e deslumbramento, um livro cuja primeira leitura, inexplicavelmente, não me impressionou demais. Talvez porque o momento psicológico não fosse adequado. Ou porque o adolescente não estava preparado para o impacto das páginas fortes que lia com pressa. Não importa agora descobrir os motivos determinantes do fato. Basta apenas admitir que o fenômeno […]

Continue lendo »

Chô, Urubu

rubem_0_abre

Rubem Braga foi um dos melhores cronistas brasileiros. Iniciou sua carreira no jornalismo ainda estudante, aos 15 anos. Em Recife, dirigiu a página de crônicas policiais do Diário de Pernambuco em 1932. E em 1936 lançou seu primeiro livro de crônicas, O Conde e o Passarinho. Agora você confere umas das hilariantes e divertidas crônicas deste escritor que tanto registrou […]

Continue lendo »

Arigatô: Os japoneses no Paraná*

japoneses0_abre

Até 1909 a maioria dos paranaenses nunca tinha sequer visto um japonês. Os registros da presença nipônica pelo estado antes dessa data são raros e pontuais. Somente naquele ano é que três aventureiros chamaram a atenção dos curitibanos de outrora. Com seus traços orientais típicos, Eihati Sakamoto, Jintaro Matsuoka e Shinkichi Arikawa atraíram os olhares de praticamente toda a sociedade. […]

Continue lendo »
1 2 3 13