O espetáculo da barbárie

A barbárie humana é terrível, gente que compactua dela é tão terrível quanto. É assim que vejo os atleticanos que comemoraram a vaga na Libertadores da América, são tão horrorosos quanto aqueles bandidos que estavam na Arena Joinville na última rodada do Campeonato Brasileiro. Compreendo a felicidade dos torcedores em conquistar uma vaga para o campeonato de futebol mais importante […]

Continue lendo »

Com firma reconhecida

Não sou Vinicius, não sou como Vinicius. Sou os seus vícios. Embriagado de amor, afogado em tristeza, perdido, mas muito bem orientado, na busca de amar. Sofro na posse, quero tudo pra mim. Sofro na ausência, tenho saudade até de quem não gosta de mim. Não sou poetinha, poeta, poetaço. Sou um desespero, um medroso, talvez um fracasso. Tenho medo […]

Continue lendo »

Dos escombros cracovianos

Vim dos escombros cracovianos, daquele nojento sítio repleto de maldade alheia, aleatória. De lá eu nasci, carreguei a desconfiança da vida, a destemperança do ódio, absurdamente fazia-me feliz quando o tiro saía pela culatra, torcia pela morte, torcia pelo aborto, torcia pelos canhões. Esperava ansiosamente receber uma bala, um doce e gentil tiro, para tirar de vez aquilo que Boreh […]

Continue lendo »

Quem bate asa quer amar

E numa noite dessas você dormiu nos meus braços, numa manhã dessas você acordou numa fortaleza, protegida, refugiada de um mundo cruel, abrigada em nossa caverna, em nosso amor. Num dia desses brincávamos com malícia, rolávamos com carícia. Hoje, ingenuamente, trocamos os beliscões, os arranhões. Hoje, promiscuamente, a gente brinca e se diverte numa selva sutil e querençosa. Nos dias […]

Continue lendo »
1 7 8 9