Um tempo aberto?

mazza

Pensadores tentam, volta e meia, um esforço de redução para definir o seu tempo, a sua era, um ciclo. Exemplos de obras como a série de conferências de John K. Galbraith denominada “A era da incerteza” ou a de ensaios do marxista Eric Hobsbawm denominada “Era dos extremos”, numa abordagem que envolvia todos os campos de manifestação da política, da […]

Continue lendo »

Fantasias sociográficas

mazza

Quando no Oeste do Paraná houve o que os sociógrafos chamaram de encontro entre a bombacha e o chapéu de couro na comunhão entre migrantes nordestinos em meio à esmagadora maioria gaúcho-catarinense, não poderiam imaginar que justamente os grupos referidos na região de Céu Azul iriam dividir-se num plebiscito que consagraria a emancipação de Santa Bárbara do Oeste que levava […]

Continue lendo »

Louvor da aldeia

mazza

Quando era mais intensa a campanha seccionista de “o sul é o meu país” o jornalista Evandro Fadel replicou, ironicamente, com “o Boqueirão é o meu país” e numa exaltação ao Zoológico e à pista de canoagem do rio Iguaçu, sem falar no quartel do Exército lá sediado e, sobretudo, no templo do Inri Cristo e sua corte de seguidoras. […]

Continue lendo »

Bons tempos do pregão

mazza

Num sol de rachar em Copacabana o vendedor anuncia, como se fosse o símbolo do otimismo, o sorvete aos gritos de “Kibon”, que bom. É a arte do pregão hoje praticamente inexistente. Curitiba dos anos 40 a 60 do século passado tinha uma protofonia de reclames, a principal delas a entoada pelas colonas que saíam de Santa Felicidade para o […]

Continue lendo »
1 2 3 6