É bom já ir pra casa

mazza

  Vivemos politicamente uma situação anedótica que lembra uma piada descrita por José Vasconcelos: um cidadão dirige seu automóvel quando estoura um pneu e percebe que está sem o macaco para fazer a troca. A uma distância de três quilômetros há uma luzinha que lhe dá a esperança de assistência. Na caminhada sofrida vai, em monólogos, imaginando gesto de má […]

Continue lendo »

Tsunami à direita

mazza

A eleição foi um exocet na estrutura partidária tradicional com os litigantes tradicionais PSDB e PT atingidos, ainda que este com algumas compensações em governos estaduais e na disputa do segundo turno entre Fernando Haddad e Bolsonaro. Numa campanha em que seus polarizadores eram também recordistas da rejeição, houve uma renovação a fórceps na aldeia arquivando, a um só tempo, […]

Continue lendo »

Nostalgia da ordem

mazza

Do processo constituinte para cá, temos vivido um descompasso, cada vez maior, entre os princípios da liberdade e da autoridade. A rigor prevalece um só nas coisas mínimas como um grupo de dez a quinze pessoas fechando uma estrada federal porque um jovem ciclista morreu e reivindica-se uma passarela. Predomina o sentido da negociação como se a Polícia Rodoviária Federal […]

Continue lendo »

Hipocondria no caminho

mazza

Em 1962 havíamos decidido ingressar em grupo no Partido Socialista, basicamente todo o time que figuraria no inquérito dos jornalistas da “Última Hora”, dois anos depois. Como a lei eleitoral sob João Goulart era igual para todos, pela vez primeira no país tínhamos o acesso ao rádio e à TV gratuitos e me coube em parte a montagem desse programa. […]

Continue lendo »

Anticlímax também é espetáculo

mazza

Um dos argumentos do ministro Gilmar Mendes para derrogar o Código de Processo Penal era o de que havia exagero nos rituais da condução coercitiva, atentado à dignidade da pessoa humana e, sobretudo, mais um elemento de espetacularização da justiça, questão que seguidamente invoca para criticar o fluxo da Lava Jato. Ninguém tem posição tão engajada nesse particular, à exceção, […]

Continue lendo »

Cada um com sua relíquia

mazza

Nos anos de chumbo, visitei uma ordem religiosa, toda ela com seus estudantes formados sob a influência do Concílio e das pregações do Papa João XXIII e, portanto, potenciais quadros das comunidades eclesiais de base. Como era atingido pelos atos institucionais e respondia a processo militar com outros jornalistas, era visto por eles com admiração e de tal sorte tão […]

Continue lendo »

Exercício teatral de tolerância nas artes da bolinha de gude

mazza

Talvez, já nos tempos de nossa infância, vislumbrávamos um futuro de convivência com a corrupção em nossos jogos e dramatizações. Havia, por exemplo, nas disputas de bolinha de gude, nas suas variadas formas – o turco, a cobrinha e o búrico –, a concepção do inesperado, normalmente exercida por alguém mais truculento, que chegava na rodinha e declarava uma intervenção […]

Continue lendo »

Um pouco de história de abluções

mazza

Quando Curitiba tinha temperaturas mais frias e o exercício da natação parecia inimaginável, havia poucas piscinas particulares, uma delas ali onde está o Colégio Estadual do Paraná, então a chácara dos Pinheiro Lima. Era com inveja que das cercas protegidas com arbustos víamos a piscina, algo que ficava longe de nossas aspirações e que só se concretizaria com uma popular […]

Continue lendo »

Um tempo aberto?

mazza

Pensadores tentam, volta e meia, um esforço de redução para definir o seu tempo, a sua era, um ciclo. Exemplos de obras como a série de conferências de John K. Galbraith denominada “A era da incerteza” ou a de ensaios do marxista Eric Hobsbawm denominada “Era dos extremos”, numa abordagem que envolvia todos os campos de manifestação da política, da […]

Continue lendo »
1 2 3 6