Antes das seis

É um milagre ouvir Electric Ladyland. Já nos primeiros segundos você pode entrar no universo sugerido por Jimi Hendrix. Lá tem cores, movimento permanente, sequências não óbvias, quase nada parado, talvez apenas você que ainda não entrou nas canções e no muito que elas têm. Do mundo Electric Ladyland você pode seguir para o Blue Train, de John Coltrane, ou […]

Continue lendo »

Binaca

Nunca mais fui ao Café & Restaurante Trem Pagador. Almocei por anos no local, onde a refeição era e talvez ainda seja servida até as 15 horas. Por ser autônomo, poderia, em tese, almoçar na hora em que quisesse. No entanto, para sobreviver sou obrigado a participar de reuniões, algumas realizadas no tradicional horário de almoço. Mas, enfim, frequentei assiduamente […]

Continue lendo »

Quase surge um nada

Natália diz que vai criar um personagem absolutamente original. Mostro os dentes, fecho a boca, ela quer saber qual o motivo da minha risada e sigo em silêncio. Repete que o seu plano é construir um protagonista inédito em âmbito mundial. Durante uma pausa em seu discurso, comento que também vale recriar algum personagem do Shakespeare ou do Dalton Trevisan, […]

Continue lendo »

Inconveniente

O falsificador desistiu de me vender suas produções. Inclusive, não há mais espaço para quadros nas paredes do meu apartamento. Recentemente, o sujeito ‒ entre outras solicitações ‒ passou a pedir dinheiro emprestado. Emprestei mais do que deveria, ele disse que paga quando puder, mas sei que dificilmente vou recuperar aqueles dezesseis, dezessete mil. E ainda sugere outras transações. Mês […]

Continue lendo »

Gudzins

Fernando ganhou o equivalente a um prêmio acumulado da Mega-Sena. Não foi herança, apropriação de patrimônio alheio, furto, roubo ou rendimento de atividade ilegal — uma quantidade de dinheiro inesperada surgiu. E desde então sua realidade, evidentemente, é muito outra. Está isolado em uma cobertura, no vigésimo segundo andar de um prédio em um bairro situado a quinze minutos do […]

Continue lendo »

Chernobil

Chernobil tenta, mas não consegue. Outro funcionário de uma fundação, onde ela insiste em cobrar por um serviço não prestado, não cede à insistência da, é lamentável usar mas a palavra é essa mesma, chantagista. No passado, ela pressionava e conseguia, especificamente, dinheiro. Emplacava projetos, mas, na realidade, seu objetivo sempre foi o cachê, e apenas o dinheiro, e não […]

Continue lendo »

Afrodite sofre

Ela está doente, mas prefere não expor a doença e desfila com seu sorriso, já definido como sensual, ou sem sorrir. Chama atenção onde está, por enquanto, no Café das Letras, e para onde vai, o Museu do Nonsense — e mesmo ausente torna-se assunto das conversas e matéria-prima para fantasias inconfessáveis. Ela é Afrodite, uma talentosa e premiada atriz […]

Continue lendo »
1 2 3