David Carneiro também exibidor

jensen

David Antônio da Silva Carneiro (Curitiba 1904 – 1990) foi historiador, escritor, ensaísta, pesquisador, museólogo, colecionador e professor universitário. Um lado pouco mencionado era o de um cinéfilo apaixonado e empresário cinematográfico. O que motivou sua entrada neste segmento foi a construção de um “arranha-céu” de seis andares, como eram chamados os edifícios na segunda metade dos anos 30, quase […]

Continue lendo »

Cinema. Ed. 186

cinema 0 abre

Rio, 40 Graus (1955) Como muitos sabem, Glauber Rocha foi a grande liderança do Cinema Novo no Brasil, Deus e o diabo na terra do sol (1964) não foi seu primeiro trabalho, mas, definitivamente, é o marco para esse tipo cinematográfico. Antes da chegada desse filme e de outros de mesmo estilo, Rio, 40 graus, de 1955, foi embrionário e […]

Continue lendo »

Cinema. Ed. 185

cinema

Tempos Modernos (1936) O clássico que sempre é identificado. Filme que traz a figura do personagem “O Vagabundo” do reconhecido e sempre compartilhado Charlie Chaplin. Tempos Modernos marcou a história do cinema e também intensificou a crítica ao contexto da década de 30 e o que viria a seguir. Crescimento do capitalismo, stalinismo, nazifascismo e imperialismo. É imponente ao mostrar […]

Continue lendo »

Paulo Sá Pinto em Curitiba

jensen-0-abre

Paulo Sá Pinto (1912-1991), mineiro radicado em São Paulo, comandava a Cinematográfica Sul Ltda, com grandes cinemas na capital paulista e a distribuidora Art Filmes, com filmes na maioria europeus, além de outros empreendimentos. De baixa estatura, era homem refinado, culto, elegante, falando várias línguas, mas principalmente muito dinâmico. Foi um dos líderes da cinematografia nos tempos em que o […]

Continue lendo »

Cinema de arte Riviera

jensen

Funcionou por aproximadamente sete anos, de 63/64 a meados de 1970. Porém foi um marco para os cinéfilos de Curitiba, pois vimos filmes japoneses, suecos, tchecos, e até russos, em plena censura da ditadura militar. Além da sua programação diária e em horários normais, aos sábados à tarde, o cinema reunia alguns grupos de cineclubistas. Havia as sessões do cineclube […]

Continue lendo »

Cinema. Ed. 184

cinema 0 abre

O Sal da Terra (2015) Sebastião Salgado, um dos fotógrafos mais conhecidos e premiados do mundo todo, nasceu em Aimorés, Minas Gerais, em 1944. Formado em economia só teve contato com a fotografia anos mais tarde, com uma câmera que ganhou da sua esposa. Entretanto, a partir do momento que passou a se dedicar à arte teve seu tempo todo […]

Continue lendo »

Condições de exibição para filmes especiais

jensen 1

Alguns filmes vinham com recomendações ou exigências contratuais das distribuidoras. “Fantasia”, a pretensiosa obra de Walt Disney, de 1940, com a Philadelphia Orchestra, regida por Leopold Stokowski, provocou o temor de que não seria exibido por aqui, pois o sistema sonoro criado para o filme, o “Fantasound”, era caro e complicado, instalado em poucos cinemas americanos. Nas demais cidades do […]

Continue lendo »

Os cinejornais

canal-100-capa

Antes do advento da televisão, um público curioso para assistir a cenas políticas, sociais ou esportivas, de que só tinha lido, visto fotos ou ouvido no rádio, fez surgir o complemento nacional como parte inicial das sessões cinematográficas. Obrigatório a partir do Estado Novo de Getúlio nos anos 40, estendeu-se até o início dos anos 80, produzidos semanalmente. A lei […]

Continue lendo »

Cinema. Ed. 180

chocolat-3-capa-180

Chocolate (2000) Vianne Rocher, interpretada por Juliette Binoche, é uma jovem mãe solteira que decide ir para Lansquenet-sous-Tannes, cidade rural da França. Lá ela abre um negócio inusitado para o local, causando especulação e julgamentos. Aos poucos ganha a confiança dos moradores e abre Maya, sua chocolateria. Causando repúdios dos grandes conservadores locais, Vianne demonstra coragem e confiança, atitudes pouco […]

Continue lendo »
1 2 3 7