Uma visita

Ao entrar na Rua Duvivier, pensei: talvez esta inédita sensação possa estar me fornecendo a certeza de que, finalmente, encontrei a residência perfeita do poeta. À esquerda, um prédio, em negro mármore. Repentina visão de alguns móbiles flutuando à varanda… Novamente a certeza. Só poderá ser ali. Apresento-me ao porteiro. Que me informa: sim, ele reside aqui, mas o senhor […]

Continue lendo »

O fator leveza

Ao nos referirmos à palavra Arte, fatalmente estaremos determinando que, via de regra, acionaremos três eixos. A saber: natureza, nobreza, torpeza. Mas não seria o caso, aqui, de construirmos balizamentos teóricos ou, quando muito, rodapés de relevo erudito. A intenção é apontar para um fator, que acredito ser de grande importância: incluí-lo, por assim dizer, no bojo do universalismo que, […]

Continue lendo »

Os poloneses fincam o pé no Paraná

Ela sobreviveu aos horrores do Holocausto nazista, atravessou o Oceano Atlântico com três filhos no colo e escolheu Curitiba para reconstruir sua vida. Em terras brasileiras, Stefania Wojtyga teve outros três filhos. Mas quis o destino que o marido dela fosse repentinamente embora, abandonando a família. Stefania, que hoje tem 90 anos, ficou sozinha. Mal sabia ela que as dificuldades […]

Continue lendo »

Palhaço das perdidas ilusões / Tempos de segunda ordem / A política, de perto

  Palhaço das perdidas ilusões   A vida nem sempre foi um palco iluminado. Houve a escuridão da ditadura, a tortura, as frustrações, o desamor. Mas não devo me queixar. Detesto autocomiseração. Minha vida não foi monótona e devo reconhecer, vaidade às favas, que cheguei a cantar entre as palmas febris dos corações. Desde a infância este verso da música […]

Continue lendo »

Mignone – Neschling

Francisco Mignone (1897-1986) nasceu em São Paulo e sua formação musical teve início com seu pai, flautista profissional. Estudou piano no conservatório, com mestres de origem italiana, já que, como escreveu Vasco Mariz, São Paulo (nesta época) era uma verdadeira extensão da Itália. Iniciou sua carreira na música popular sob o pseudônimo de Chico Bororó, conhecido por tocar nas rodas […]

Continue lendo »

Adriana Cult

Adriana Sydor é a grande descoberta da literatura brasileira dos últimos anos. Desde a publicação de seu livro “Toda prosa”, ela alcançou um universo de leitores que a transformou em referência de uma nova forma de escrever. Adriana liberou seus textos dos cacoetes que revestem a literatura brasileira atual. A literatura de Adriana Sydor pulsa a vida que escorre nestes dias […]

Continue lendo »

A casa no lago

  Estou de pé, às margens do lago drenado do Passeio Público. Ao meu lado, um último biguá contempla, perplexo, o leito de concreto do grande tanque. Para ele, este é um cenário de sonho. Um pesadelo tornado real. Nasceu para mergulhar, mas não há água nem profundeza. Apenas planície. Na falta do que fazer, me faz companhia. Grato, retribuo […]

Continue lendo »

Um novo olhar (crítico) sobre a “Opus Majus” de Albert Camus

1 O que representa, em última análise, “A peste”? O romance é plurissignificante, polissêmico. Não será possível captar nele um significado, uma interpretação, uma “leitura” unívoca. Começa por participar do simbólico e do imagético. É fábula, alegoria, parábola. Mais do que isso: metáfora transparente. Suma antiteológica (fragmento da suma que é a “opera omnia” camusiana), reflexão pascaliana (só em parte, […]

Continue lendo »

Arigatô: Os japoneses no Paraná*

Até 1909 a maioria dos paranaenses nunca tinha sequer visto um japonês. Os registros da presença nipônica pelo estado antes dessa data são raros e pontuais. Somente naquele ano é que três aventureiros chamaram a atenção dos curitibanos de outrora. Com seus traços orientais típicos, Eihati Sakamoto, Jintaro Matsuoka e Shinkichi Arikawa atraíram os olhares de praticamente toda a sociedade. […]

Continue lendo »
1 6 7 8 9 10 11