Nunca chore aos domingos

De sagradas a profanas, prostitutas contam um tanto de suas histórias no mundo baixo, entre cafetões, doses de cinquenta reais e crianças que estudam em colégios particulares     Vinicius, dono do Stilus Bar, às margens do Contorno Sul, pertinho da Universidade Positivo, está no negócio há dezessete anos. É um sujeito de valores bem definidos, embora alguns possam alegar […]

Continue lendo »

Toureia-me

“Tourear ou viver como expor-se, expor a vida à louca foice*”, sentencia João Cabral de Melo Neto. Espetáculo mortal, geometria e precisão, atravessamento fatal do movimento. Palavra-seca, palavra-arena, palavra-mar, palavra-animal, palavra-sol, palavra-arma. Submeter a escrita ao deslocamento, fazer com que a palavra sangre diante dos olhos. Balé indecifrável de gestos, respiros, chão. Fazer a poesia bailar no ar e ceifá-la, […]

Continue lendo »

Antes de um tango argentino, as possibilidades de salvação

Pneumotórax, 1930 (Manuel Bandeira) Febre, hemoptise, dispnéia e suores noturnos. A vida inteira que podia ter sido e que não foi, Tosse, tosse, tosse. Mandou chamar o médico: – Diga trinta e três. – Trinta e três… trinta e três… trinta e três… – Respire. ———————————————————————————- – O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado. […]

Continue lendo »

Tempo de friagem

Curitiba nunca é tão Curitiba quanto no finzinho do outono, comecinho do inverno. É nesse período que toda a curitibice aflora em sua maior intensidade. Comecemos pelo clima que no fim das contas é o grande causador desse desabrochar da consciência curitibana. O veranico de maio, que nesse ano foi no meio de junho, é como se o verão tivesse […]

Continue lendo »

Cinelândia curitibana

Toda cidade, pequena ou grande, tinha um ou mais cinemas em sua rua principal. Curitiba tinha a sua chamada Cinelândia, que ia da Praça Osório até a rua Doutor Muricy e arredores. Boas e elegantes lojas; cafés e confeitarias completavam o espaço para conversas, ver e ser visto. A demanda pelos filmes era grande e algumas salas para exibi-los, enormes […]

Continue lendo »

Samuel

Eu te escrevo de muito longe. Estou do outro lado do mundo. No avesso do que vivemos. Faz frio. É escuro. Tenho medo da escuridão, você sabe. Ela é para mim todas as trancas das portas, não as portas, as trancas; aquelas que seguram toda a felicidade de um lado e me mantém de outro. Vim parar aqui não por […]

Continue lendo »

Prateleira. Ed. 165

O Evangelho segundo SaramagoFoto: Reprodução/site 12mesesdeleitura.wordpress.com Não há meio termo em O Evangelho segundo Jesus Cristo de José Saramago. O gajo é ácido. Ou amam, ou odeiam. Editado pela primeira vez em 1991, o livro já cansou de voltar para gráfica, foram muitas outras reimpressões.Para lê-lo é preciso estar atento ao livro sagrado cristão, pois senão qualquer ironia passa despercebida. […]

Continue lendo »

Música Erudita. Ed. 165 – Óperas essenciais

Há alguns anos o jornal inglês The Guardian publicou uma boa lista com as maiores óperas da história. A partir dela foi feita uma seleção pessoal, com algumas adaptações, daquelas consideradas essenciais num acervo. Aqui vão as mais antigas, as primeiras óperas escritas e que devem ser conhecidas por todos que amam o gênero. No próximo número apresentaremos mais cinco […]

Continue lendo »
1 2 3