Vem cá, meu bem

(Ou de como os políticos brasileiros se dedicam ao toma lá, dá cá)   Vem cá, meu bem é expressão corrente no mundo político como chamado para acertos de propinas em troca de voto e apoio político. Há outras. O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari, ligava para empreiteiros e banqueiros para exigir o “pixuleco” do PT. Há as antigas. Políticos […]

Continue lendo »

Não há santos sobre os altares

As delações premiadas da Lava Jato mostram que a corrupção na política brasileira foi ampla, geral e irrestrita. Já não há santos sobre os altares. Todos os nomes referenciais da vida pública são citados. Os ex-presidentes vivos, de José Sarney, passando por Collor de Mello e Lula, até Dilma Rousseff, e o atual, Michel Temer, estão na lista. A exceção […]

Continue lendo »

Vaia, um direito gutural

Como o bebê ao nascer dá o seu sinal de vida com o choro alentador para os pais, realçando-lhe a saúde e a bem-aventurança, a vaia em atos políticos é a contestação mais forte e instintiva nessas situações, e também nas artísticas. Aí se incluem as vaias a cantores clássicos como teria ocorrido com o genial Luciano Pavarotti (imaginem a […]

Continue lendo »

Grandes nomes

Tem tanta gente que eu admiro, tanta gente em quem eu me espelho, que me inspira. São homens e mulheres que por seu peso, sua história, suas lutas e suas glórias deixaram um rastro de luz. Suas estaturas são enormes. São monstros sagrados, ídolos, gente da melhor qualidade. Sem falar nas pessoas óbvias e mortas, as pessoas a quem eu […]

Continue lendo »

Sérgio Moro e Ayrton Senna

Definitivamente não há na história recente do país uma figura tão importante quanto o juiz federal Sérgio Moro. Fico pensando no futuro, os seus filhos e netos, lendo os feitos de seu patriarca, que sem dúvida, a partir dele, cria-se um novo patriarcado, jamais alcançado por nenhum Moro até então. Ele pôs seu nome nos próximos livros de História do […]

Continue lendo »

À margem da política

Ensina a sabedoria popular que a política é a arte de engolir sapos. Não comungo desse ponto de vista. Penso, antes, que são certos políticos que obrigam a maioria dos seus eleitores à deglutição dos indigestos batráquios. Um fato é inegável: a política, no mundo inteiro, vive uma época de crise sem precedentes. Jamais o seu descrédito foi tão notório. […]

Continue lendo »

A rotina de Wagner Mesquita

A rotina de um secretário de Segurança Pública passa pelo enfrentamento de dias de tensão, discussões acaloradas e, principalmente, gestão e trânsito entre as diversas instituições vinculadas, além de um componente garantido: não se sabe qual será a surpresa que o dia reserva nem qual a hora em que o trabalho vai terminar. Pouco mais de um ano após assumir […]

Continue lendo »

Bruno Covello – filho e neto de peixe

O avô era fotógrafo amador. O pai é fotógrafo profissional. Durante a sua infância e adolescência Bruno Covello conviveu com as lides e com equipamentos fotográficos do avô e do pai. Muitas vezes serviu de modelo para algumas fotos que seu pai Júlio inventava. Mas a fotografia não o tinha ainda conquistado. Quando chegou a hora de se definir profissionalmente […]

Continue lendo »

A ruína das catedrais imensas

Este mês, pretendia escrever uma longa matéria sobre poesia. Liguei para umas cinco pessoas, amigos antigos e supostos leitores de poesia contemporânea. Nenhuma das conversas rendeu coisa que valesse a pena ser publicada. E o motivo é muito simples: a poesia morreu. Se esqueceram de enterrar o cadáver é outra história. Não que eu me surpreenda, claro. Há algum tempo, […]

Continue lendo »
1 2 3 4