Suicídio e filosofia

Seu Armando é um paciente meu de 90 anos, exemplo de alegria de viver. Nascido na Espanha, veio ao Brasil ainda criança. Aqui fez sua vida de maneira dura e digna (segundo ele). É meu paciente há 20 anos e, dentre as diversas comorbidades que o acometem, a mais limitante é uma doença pulmonar crônica, sequela dos anos de fumante. […]

Continue lendo »

Afrodite sofre

Ela está doente, mas prefere não expor a doença e desfila com seu sorriso, já definido como sensual, ou sem sorrir. Chama atenção onde está, por enquanto, no Café das Letras, e para onde vai, o Museu do Nonsense — e mesmo ausente torna-se assunto das conversas e matéria-prima para fantasias inconfessáveis. Ela é Afrodite, uma talentosa e premiada atriz […]

Continue lendo »

A segunda pele de Bernadete Amorim

Bernadete Amorim veste a arte em seu sentido mais orgânico e subjetivo. Ela a usa como segunda pele, costura, tece, pinta, tinge, cola, atribui a ela outro significado, outro corpo, redimensiona, questiona. “O tecido é matéria poética que me permite estruturar ações, que lidam com questões do peso, do volume, da gravidade.” As suas obras têm texturas variadas que instigam […]

Continue lendo »

Ópera no cinema

Nas salas digitais de hoje, vemos programadas algumas sessões especiais com óperas e balés, produções de teatros mundiais famosos. Mas claro que isto não é cinema, é teatro gravado. Todavia foram produzidas verdadeiras obras-primas cinematográficas com óperas. Eis algumas delas. “Don Giovanni”, de W. A. Mozart, foi produzida por Michel Seydoux para a Gaumont francesa em 1979, com direção de […]

Continue lendo »

Hipocondria no caminho

Em 1962 havíamos decidido ingressar em grupo no Partido Socialista, basicamente todo o time que figuraria no inquérito dos jornalistas da “Última Hora”, dois anos depois. Como a lei eleitoral sob João Goulart era igual para todos, pela vez primeira no país tínhamos o acesso ao rádio e à TV gratuitos e me coube em parte a montagem desse programa. […]

Continue lendo »
1 2