Aos inimigos, a lei

Na edição passada da Ideias fizemos um grande resumo dos acontecimentos. Contando tudo o que havia sido divulgado pelo Intercept porque acreditamos que as reportagens são longas e extensas, o que não vemos como um problema, ao contrário, é mérito do jornalismo deles, mas duvidamos que as pessoas estavam de fato lendo. Não por causa do gosto pela televisão, da […]

Continue lendo »

Poemas Grego

Pártenon Quem transformou o tempo em doce cântico de pedra? Bem: Calícrates, Ictinos, esses foram os deuses arquitetos. Suas colunas dóricas são quantas? São elas que sustentam na espádua mais que perfeita, a abóbada celeste. Cornijas, capitéis, plintos, volutas: se é bom sonhar é esse o sonho grego, sangue branco a fluir dentro do mármore. (Como suster o céu, sem […]

Continue lendo »

Carroça vazia

Tenho diminuído muito meu acesso à programação da TV aberta, principalmente aos telejornais. É incrível como a tragédia vende. Nos programas de rádio também, como esticam notícias ruins. Levam ao pé da letra o conselho do poeta romano Juvenal ao imperador Caio Graco, pão e circo para o povo, tirando do foco as questões centrais. Se derem o pão, aí […]

Continue lendo »

Tio Zulmiro?

Quando ele morreu — em 1968 — o cast mais frequente de nossa leitura de rotina, seria, invariavelmente: Cavaleiro Negro, Mandrake, Mosdesty Blaise, Brucutu e Pacífico e Marocas; tendo o casal como sobremesa. Mas o Rio inteiro já era sabedor do seu talento demolidor. Mesmo que, em certa época de percursos, teria sido bancário. Eis que o destino fez por […]

Continue lendo »

Bar com cinema

Lourival Mendes era um pioneiro de cinemas no velho oeste, não o velho oeste americano, mas do Paraná. Teve cinema nos verdes anos da cidade de Toledo, então quase um faroeste, que efervescente, vivia sua época de colonização. Na sua paixão por exibir filmes, Lourival comprou um projetor portátil 16 mm e se aventurava, um bandeirante da sétima arte, com […]

Continue lendo »
1 2