Perca-se

Pequenas cidades são o máximo. Adoro a vida e as pequenas delicadezas que só as cidades pequenas têm. Elas são cheias de tradições e peculiaridades que só quem morou numa sabe descrever. Aquela festa que toda semana reúne quase a população toda em volta do coreto da praça. O açougue que não muda a produção, mesmo que às 10 da manhã uma fila enorme de moradores fique sem a linguiça sensacional que simplesmente acaba. As comidas típicas, os lugares folclóricos, as cachoeiras escondidas, os hoteizinhos charmosos, as trilhas de aventura, os personagens, a atmosfera.

Ao contrário do que possa parecer, as oportunidades nesses lugares são imensas. Pelo menos poderiam ser. Fora do Brasil, a gente paga horrores para passear por lugarejos tão pequenos que às vezes nem estão no mapa. Quem não sonha com a Provence? Quem não quer ir pra Toscana? Quem não se encanta com os Pueblos Blancos espanhóis?

E aqui poderia ser igual. Não nos faltam belezas naturais, não nos faltam regiões-polo produtivas. Não nos falta talento nem qualidade. Faltam incentivo, apoio, divulgação. Falta um pouco de charme, confesso, mas tudo poderia ser tão bacana quanto nesses invejados roteiros estrangeiros.

Graças à nossa multiplicidade étnica, temos de tudo, é só potencializar o que já está sendo feito de forma amadora e independente em diversas regiões do país. Os produtores artesanais teriam que incrementar seus produtos e embalagens, investir em pontos de vendas mais charmosos. As prefeituras incentivar esses pequenos negócios, criar roteiros de charme, investir na divulgação, agrupar produtores, reconhecer as vocações das suas cidades. O governo deveria ver nessas oportunidades como um projeto bem feito poderia salvar a economia de lugarejos sem outra fonte de renda.

Na sua próxima viagem, saia da estrada principal, pegue aquela estrada de terra, conheça o mundo que se esconde às vezes a menos de 50 quilômetros da sua casa. Perca tempo, encontre belezas e se esbalde nas delícias que vai encontrar. O bolso pode até ficar vazio, mas o porta-malas voltará cheio e a vida ficará muito mais feliz.

Deixe uma resposta