Música Erudita. Ed. 174 – Monumento sonoro

Entre os milhares de refugiados da Hungria, na invasão soviética em 1956, estavam muitos músicos que chegavam apenas com seus instrumentos. Oitenta deles formaram uma orquestra de alto nível em Viena, a Philharmonia Hungarica, com a generosa assistência de algumas organizações filantrópicas. Outro exilado húngaro pré Segunda Guerra, Antal Dorati, depois de um longo período regendo e gravando com orquestras americanas, estava de volta à Europa e foi convidado a comandar o conjunto. Estava já algum tempo tentando convencer a gravadora inglesa Decca, (nos EUA London), a gravar o cosmos das mais de cem sinfonias do então pouco comercial Joseph Haydn (1732-1809). Sua proposta coincidiu com a difícil situação dos refugiados, e um dos maiores projetos de gravação teve lugar. Foi a primeira vez em que todas as sinfonias foram gravadas, inclusive as sem numeração, omitidas por engano, da lista das 104 autênticas catalogadas.

capaA pequena cidade de Marl, na Vestfália, região histórica da Alemanha, ofereceu residência à orquestra, a igreja de São Bonifácio com sua acústica transparente, foi o local escolhido para as gravações. Muitas das sinfonias estavam ainda inéditas em disco. Foram usados andamentos leves e arejados, como os nomes de algumas das sinfonias (o urso, a galinha, a rainha) que indicam certa irreverência do compositor. Dorati e os músicos se divertiram muito, e isso transparece nas gravações, diferente das execuções lúgubres que eram a norma das orquestras alemãs. Some-se a tudo isto, a sonoridade e clareza inconfundíveis do renomado “Decca Sound”, em que se ouvia toda a gama de frequências que o ouvido humano é capaz de perceber (full frequency range recording – FFRR), um slogan da companhia. O produtor foi o famoso James Mallinson e os engenheiros, Coolin Moorfoot e Peter Van Biene. Os discos foram vendidos em diversas caixas, com capas muito bonitas, bons textos e ilustrações em seu interior, e ainda as sinfonias mais conhecidas em Lps individuais. Durante a última sessão de gravação, em dezembro de 1972, Dorati anunciou a venda de meio milhão de discos. Este número rapidamente quadruplicou, tornando-se o maior sucesso da empresa, depois da famosa gravação estéreo do Anel dos Nibelungos com Solti, em 1959. Apesar do prestígio da orquestra, o fim da Guerra Fria resultou na dissolução do grupo.

Em 1991, as gravações foram digitalizadas e vendidas em CD, mas se você tem estes discos analógicos, ou alguns deles, prensados na época, e um bom equipamento para reproduzi-los, considere-se um privilegiado, pois o som é maravilhoso. Haydn nos proporciona puro prazer e sempre surpresas, pois como ele mesmo declarou sobre Esterházy, onde viveu: “… como regente de uma orquestra eu podia fazer experiências, observar a impressão que causavam, e seus pontos fracos. Estava isolado do mundo e ninguém em minha proximidade, podia me confundir ou atormentar e, assim, tive que me tornar original.”

Decca, Haydn, Dorati e a efêmera Philharmonia Hungarica: preservados pela tecnologia proporcionando busca intelectual prazerosa.

antal

Dorati regendo a Philarmonia Hungarica na igreja de São Bonifácio em Marl.

Deixe uma resposta