Renan critica possível ‘paralisia’ no Congresso

O presidente do Senado, Renan Calheiros

O presidente do Senado, Renan Calheiros. Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

 

Presidente do Senado rebate declaração de Cunha dada um dia antes.
Renan diz que, ‘quanto mais o deputado tentar interferir’, ‘só vai atrapalhar’.

 

Por Fernanda Calgaro
Do G1

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), criticou nesta quarta-feira (20) as declarações do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que cobrou celeridade na tramitação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, e disse que, quanto mais o deputado “tentar interferir”, “só vai atrapalhar”.

Na terça (19), diante da decisão do presidente do Senado de marcar a eleição da comissão especial que analisará o caso para a semana que vem, Cunha afirmou que a demora no desfecho do impeachment poderia “causar muitos prejuízos” ao país. Ele disse ainda que previa uma paralisia no Congresso Nacional até o Senado decidir sobre o processo.

“Nesta semana, não vamos ter votação. Semana que vem, o governo não é reconhecido pela Casa. O que vai acontecer a partir da semana que vem: nós temos uma ‘ainda’ presidente da República e ninguém vai reconhecer absolutamente nada para efeito de matérias. Então, há uma paralisia do Congresso Nacional até o Senado decidir. É isso que vai acontecer”, afirmou Cunha na terça (19).

Em resposta, Renan também disse que “paralisar as ações [da Casa] é muito ruim porque ninguém vai se beneficiar do lockout, do agravamento da crise, do desemprego, do aumento da desesperança”.

“Quanto mais o presidente da Câmara tentar interferir no ritmo de andamento do processo no Senado, sinceramente, ele só vai atrapalhar”, respondeu o presidente do Senado.

Deixe uma resposta