‘Não precisa ter cargo’, diz Alckmin de PSDB em eventual governo Temer

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Foto: Ciete Silvério/ A2img

 

Governador diz concordar com apoio do partido, caso Dilma deixe presidência.
No sábado (23), senador José Serra publicou posição contrária no Facebook.

 

Por Adriano Oliveira e Felipe Turioni
Do G1

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (25) que é contra a nomeação de membros do partido para o primeiro escalão em um eventual governo de Michel Temer (PMDB), caso o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) seja aprovado.

“Completando o processo de afastamento no Senado, e assumindo o vice-presidente, temos a responsabilidade de ajudar. Então, é nosso dever apoiar. Agora, não precisamos ter pasta e nem cargo para poder fazer isso. Sou contra a nomeação de ministros, já externei isso”, disse.

A opinião de Alckmin contrasta com a do senador José Serra (PSDB) que defendeu, no último sábado (23), a participação da legenda no possível governo de Michel Temer. A declaração do tucano foi publicada em sua página no Facebook.

“Se o futuro presidente Michel Temer aceitar os pontos programáticos do PSDB, o partido deve apoiar o governo. E se apoiar o governo e for convidado, deve participar do governo”, escreveu José Serra.

Ainda segundo Alckmin, o PSDB deve discutir internamente de que forma ocorrerá esse apoio ao vice-presidente, destacando que um novo governo precisará de sustentação política e apoio parlamentar para aprovar novas medidas na Câmara e no Senado.

“Eu acho que é uma unanimidade: todos devemos ajudar. É um período difícil para o país, precisa ter base parlamentar, precisa fazer reformas. Se vai participar com quadros no ministério, ou não vai, é uma questão menor. Cabe ao partido discutí-la depois”, afirmou.

Deixe uma resposta