PMDB só divulgará ‘cartilha social’ após decisão do Senado, diz fundação

Vice- presidente Michel Temer

Vice-presidente Michel Temer. Foto: ASCOM- VPR

 

Documento seria divulgado nesta segunda pela Fundação Ulysses Guimarães.
Partido decidiu adiar lançamento após Dilma reajustar Bolsa Família.

 

Por Filipe Matoso
Do G1

A Fundação Ulysses Guimarães, ligada ao PMDB, decidiu adiar a divulgação de uma cartilha com propostas para a área social, batizada de “Travessia Social”, que seria apresentada nesta segunda (2). De acordo com a assessoria da entidade, o documento só será divulgado se o Senado autorizar, em votação no plenário, a continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Se a maioria dos senadores optar por dar sequência ao impeachment, o vice-presidente da República, Michel Temer, assumirá o Palácio do Planalto no período de até 180 dias que pode durar o julgamento da petista no Senado. Temer é presidente licenciado do PMDB.

A assessoria da fundação explicou que a decisão de adiar o lançamento do documento foi tomada depois que Dilma anunciou, neste domingo (1º), durante ato de comemoração do Dia do Trabalho, em São Paulo, reajuste nos pagamentos do programa Bolsa Família e correção na tabela do Imposto de Renda de Pessoa Física.

Conforme a entidade vinculada ao PMDB, essas eram algumas das propostas do partido para a área social em um eventual governo Temer.

Embora o processo de impeachment de Dilma esteja em andamento no Senado, ela só será afastada do cargo por até 180 dias se o plenário da Casa decidir dar prosseguimento ao processo. Os senadores devem analisar o afastamento na semana que vem.

Deixe uma resposta